Imagem: adobestock.com

O mercado de créditos de descarbonização (CBios) registrou 1,87 mil negociações na primeira quinzena de dezembro, movimentando mais de 6 milhões de títulos. Os números foram disponibilizados para consulta pela B3, única registradora do programa RenovaBio.

Segundo os valores apresentados, 17,4 milhões de CBios foram emitidos pelas produtoras de biocombustíveis até então; a expectativa da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) é que o montante ultrapasse 18 milhões até o final do ano. O volume atual já supera em 16,8% a meta de 14,9 milhões de créditos referente a 2019 e 2020.

De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), por sua vez, já foram cadastrados lastros suficientes para a geração de 17,55 milhões de créditos. A expectativa é que os 152,75 mil excedentes sejam registrados na B3 nos próximos dias.

Para que a meta do RenovaBio seja cumprida, no entanto, é preciso que os CBios em posse das distribuidoras de combustíveis sejam aposentados, ou seja, retirados de circulação até 31 de dezembro. Segundo a B3, mais de 6,48 milhões de créditos já passaram por este processo – o equivalente a 43,5% da meta.

A maior parte destas aposentadorias aconteceu na primeira quinzena de dezembro, quando 5,96 milhões de CBios passaram a não poder mais ser negociados.

A B3 não informa se as solicitações de aposentadoria partiram de uma distribuidora ou de um investidor que não tem metas a cumprir no programa. Ainda que esteja previsto que as aposentadorias feitas por investidores sem metas podem ser deduzidas dos objetivos finais do programa, este mecanismo ainda está em fase de consulta pública.

Mercado em andamento
Entre os CBios que ainda podem ser negociados, 6,34 milhões estão em posse das produtoras de biocombustível, 4,55 milhões estão com as distribuidoras e 25,97 mil, com investidores. No total, 10,92 milhões de créditos ainda estão em circulação.

Na primeira metade de dezembro, cada CBio foi negociado, em média, a R$ 45,22, valor 1% acima da média histórica, de R$ 44,76. Com isso, segundo os números da B3, foram movimentados R$ 275,44 milhões no período.

Além disso, o valor mais baixo registrado na quinzena foi R$ 38, enquanto o mais alto foi R$ 50.

Desde o início da negociação dos créditos, em 15 junho, pouco mais de R$ 1 bilhão já foram movimentados pelo mercado de CBios. Ao longo de todo o período, os preços médios diários variaram entre R$ 15 e R$ 64,61.

Considerando o volume aposentado, o número de títulos das distribuidoras e as metas a serem cumpridas, pelo menos 2,08 milhões de CBios devem ser negociados até o final do ano.

Renata Bossle – novaCana.com

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Preços da gasolina e do diesel nas bombas terminam a semana estáveis, diz ANP

Valor médio por litro dos dois combustíveis caiu 0,02%, segundo o levantamento da agência. Já o preço do etanol teve sua 5ª queda seguida.

Petrobras lança programa de eficiência para reduzir custos com foco em Búzios

A Petrobras (PETR3; PETR4) lançou uma iniciativa que visa cortes de 30%…

Distribuidoras já compraram 10,3 milhões de CBios, 70% da meta de 2020

As distribuidoras de combustíveis fósseis já compraram 10,3 milhões de créditos de…