A importância da revenda sobre os reajustes de PMPF

O dia a dia de um posto de combustíveis não é simples, e no que se refere ao departamento de compras que muitas das vezes é feito pelo proprietário do negócio, a volatilidade de preços e quantidade de itens a administrar induzem você a muitas vezes olhar um espelho das suas compras e dos seus custos.

Em específico nos combustíveis, muitas vezes a sensação que se tem é a de ser refém das variações de refinaria, biodiesel, usinas, e no fim você está correndo sempre atrás do prejuízo e não do lucro ou da gestão. Por isso é importante reconhecer a necessidade de ajuda, contratar parceiros que vão te ajudar a olhar os itens importantes do seu negócio, como a aquisição de combustíveis. Clique Aqui e saiba mais.

Fato é que a gestão de compra em um posto de combustíveis vai trazer a luz para questões como o PMPF (Preço Médio Ponderado p/ Pessoa Física), e você vai descobrir que sim você é responsável pelo aumento ou redução do preço de pauta utilizado como valor base do calculo do ICMS sobre os combustíveis pelo estado.

Talvez você não saiba, mas o valor do ICMS que incide sobre o preço final dos combustíveis é calculado através de uma substituição tributária, ou seja, o ICMS não é cobrado sobre a base do preço de produção dos combustíveis e sim sobre o preço final de comercialização a pessoa física. Isso proporciona aos estados uma arrecadação maior de tributos sobre os combustíveis, bem como o acompanhamento da volatilidade das eventuais mudanças comerciais que existam no mercado de competição entre os postos revendedores.

Quinzenalmente é realizado o levantamento do PMPF e assim atualizado a base de cálculo do ICMS sobre os combustíveis através de um ATO COTEPE homologado pelo CONFAZ.

Isso quer dizer que o revendedor tem nas suas mãos a decisão da redução ou aumento do PMPF a cada quinze dias, veja, se o posto compra mal e caro será obrigado a aumentar seu preço de revenda em seus combustíveis e isso vai aumentar o Preço Médio para a Pessoa Física e consequentemente todos terão impacto de aumento na quinzena seguinte, mas se ele comprar bem e barato terá em suas mãos a condição de decidir trabalhar com condições de revenda mais atrativas, que podem gerar aumento de volume de venda e ainda redução de PMPF na próxima quinzena.

Portanto, fica claro que a gestão correta na compra de combustíveis é o pilar essencial para que a revenda tenha em suas mãos o poder natural sobre as variações tributárias. 

Pense sobre isso, deixe de ser um refém dos reajustes e assuma o controle sobre suas compras de combustíveis.

Bruno Valêncio – Diretor Consultor
Valêncio Consultoria Combustíveis

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Produção de etanol anidro cresce 22,3% no Nordeste, diz NovaBio

Com a safra 2021/22 em andamento, dados compilados pela Associação dos Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio) sinalizam que a moagem de cana no Norte-Nordeste atingiu 28,67 milhões de toneladas no acumulado até 15 de novembro.

Valor do petróleo cai 2% e Petrobras ganha espaço para cortar preços no Brasil

O preço do barril de petróleo tipo brent atingiu os US$ 67,44 nesta quinta-feira, 2, o que representa uma queda de 2,08% em relação aos valores praticados na data anterior.

Abastecer com GNV rende quase o dobro que gasolina e etanol, aponta Abegás

Um levantamento da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostra que, atualmente, o Gás Natural Veicular (GNV) tem rendido quase o dobro da gasolina e do etanol.