Administração de Biden para retomar o leasing de petróleo em terras federais

O arrendamento de petróleo e gás em terras federais dos EUA será retomado no final deste ano, disseram fontes do governo Biden, de acordo com documentos judiciais citados pela Reuters.

A Casa Branca disse em janeiro que revisaria os regulamentos existentes de arrendamento de petróleo e gás para ver se havia espaço para mudanças neles. Enquanto durasse a revisão, novos arrendamentos de petróleo e gás seriam suspensos.

A notícia causou uma reação imediata e negativa dos estados que arrecadam dezenas de milhões em receitas com os royalties da produção de petróleo e gás. Um grupo desses estados no início deste ano processou o governo e, em junho, um juiz federal da Louisiana emitiu uma liminar que efetivamente removeu a proibição.

O processo argumentou que a proibição resultaria em perdas de PIB de US $ 33,5 bilhões durante o primeiro mandato do presidente Biden e outros US $ 8,8 bilhões em fundos de conservação.

Em julho, os senadores republicanos acusaram o Departamento do Interior de se atrasar ao reiniciar o arrendamento de petróleo e gás. A secretária do Interior, Deb Haaland, respondeu dizendo que o departamento estava avaliando suas opções. Anteriormente, após a decisão do tribunal, o departamento havia dito que iria cumpri-la.

O governo respondeu entrando com um recurso contra a liminar junto ao Departamento do Interior, dizendo: “O recurso da liminar é importante e necessário. Juntos, os programas federais de arrendamento de petróleo e gás onshore e offshore são responsáveis ​​por emissões significativas de gases de efeito estufa e impactos crescentes no clima e na comunidade. “

“Ainda assim, os programas atuais não incorporam adequadamente a consideração dos impactos climáticos nas decisões de arrendamento ou refletem os custos sociais das emissões de gases de efeito estufa, incluindo, por exemplo, as taxas de royalties”, disse o departamento no início deste mês.

Agora, de acordo com um briefing visto pela Reuters, o Departamento do Interior planeja realizar uma venda de arrendamento no Golfo do México em outubro ou novembro. Os preparativos para a licitação devem durar até o final deste mês.

A Interior “gastou recursos significativos da agência, incluindo muitas centenas de horas de trabalho, preparando-se para realizar as vendas de arrendamento de petróleo e gás”, disse o departamento no comunicado.

CBios já subiram quase 45% em setembro na B3

Os preços dos Créditos de Descarbonização (CBios) romperam a estabilidade registrada desde o início do ano, período em que se mantiveram abaixo de R$ 30 por tonelada de carbono, e dispararam em setembro na B3.

Preço dos combustíveis deve continuar elevado em 2022, diz XP

A XP divulgou projeção de alta para os combustíveis, que devem continuar em um patamar alto pelos próximos meses, considerando a alta do preço do petróleo no mercado internacional, câmbio em R$ 5,20 no ano e em R$ 5,10 em 2022 e escassez de etanol, que são utilizados para reajustar preços na Petrobras.

Defasagem dos preços da gasolina diminui, mas do diesel se mantém, aponta Abicom

Os preços da gasolina praticados pela Petrobras no mercado brasileiro hoje têm uma defasagem média de 6% em relação aos preços internacionais, apontou levantamento da Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom).