09/04/2019 – A Agência Nacional do Petróleo (ANP) encaminhou para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) duas notas técnicas em que aponta a concentração de mercado no setor de combustíveis e preços elevados.

Na primeira, a ANP discorre sobre o preço. Em um dos trechos diz: “No caso do segmento da distribuição, a margem bruta ultrapassou os R$ 0,40/litro no período em que houve a maior redução de preços da Petrobras, o que sugere, em uma primeira análise, a falta de competição no setor, o que gera a apropriação pelas distribuidoras de parte significativa dos descontos praticados pela empresa”.

Na segunda nota do órgão regulador, o assunto é a falta de competitividade, ocasionada, entre outros aspectos, pela política de fidelização dos postos às bandeiras de distribuidoras.

A conclusão da nota é:

“O segmento de distribuição de combustíveis da cadeia de abastecimento tem se tornado cada vez mais concentrado”.

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) também destaca a necessidade de que o Cade continue a acompanhar a questão dos preços praticados em razão da concentração do mercado.

Alta A Petrobras anunciou, na quinta-feira, 4, aumento do preço médio da gasolina em suas refinarias em 5,6% – maior valor desde 30 de outubro do ano passado. A alta do preço do combustível nas refinarias é de 28,3% no acumulado de 2019, conforme dados da estatal.

Fonte: Fecombustíveis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Petrobras: pressão sobre o preço dos combustíveis pode atrapalhar planos

O retorno das discussões sobre a autonomia da petroleira tende a chegar ao investidor, que deve considerar o tema para fazer uma oferta pelos ativos

Gasolina brasileira é a 22ª mais barata do mundo, mas compromete mais do salário

O país é o 10º onde os motoristas mais gastam de sua renda diária para comprar um litro do combustível