A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) negou pedido feito por sindicatos de revendedores de combustíveis e impediu que postos que exibem marcas comerciais possam adquirir produtos de outras distribuidoras, segundo informou em nota a autarquia nesta quarta-feira (8).

Pelo menos 25 sindicados de revendedores haviam feito o pedido à ANP até a última segunda-feira (6), alegando que as três maiores distribuidoras do país estão represando os cortes de preços praticados pela Petrobras.

Os revendedores buscavam, com o pedido à agência reguladora, reduzir custos, e alegaram “motivo de força maior”, em meio a uma acentuada queda de demanda devido aos impactos econômicos do novo coronavírus.

“A área técnica da agência analisou o pedido do setor de revenda e não considerou apropriado atacar o problema de redução de demanda por meio da suspensão do regime vigente de tutela regulatória de fidelidade à bandeira”, disse a autarquia.

“A ANP entende que o momento não é adequado a reformas desse tipo, que são estruturantes e exigem a realização de consulta e de audiência pública, uma vez que, além de afetarem direitos econômicos, também visam primordialmente à defesa de direitos básicos do consumidor quanto à informação e à proteção contra a publicidade enganosa.”

A agência reguladora pontuou ainda que o tema consta na atual Agenda Regulatória da ANP, que prevê a discussão sobre uma possível flexibilização nas regras de tutela regulatória de fidelidade à bandeira.

“No momento em que essas discussões se iniciarem, todos os agentes interessados serão convidados a participar e apresentar os estudos e argumentos que considerarem pertinentes”, afirmou.

Fonte: Folha de São Paulo

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Etanol sobe em 20 estados e no DF, diz ANP; Preço médio avança 0,54% no país

Os preços médios do etanol hidratado subiram em 20 Estados e no Distrito Federal na…

Quatro Novos Riscos Podem Influenciar Dinâmica do Petróleo no Futuro Próximo

Agora que os preços do petróleo se recuperaram totalmente da ameaça de…

Petrobras confirma aumentos de 4% na gasolina e de 2% no diesel a partir de amanhã

Informação foi antecipada com exclusividade pelo Valor na manhã desta quarta-feira, até então ainda sem confirmação da empresa

Com rompimentos de contratos, usinas não aguentam TRÊS meses, diz Unica

Se as distribuidoras diminuírem significativamente as compras de etanol, rompendo, flexibilizando e não realizando novos contratos, a maioria das usinas sucroalcooleiras do Centro-Sul não conseguirá garantir capital de giro para manter o andamento da nova safra por mais de três meses.