Imagem: Reprodução Adobe Stock

O aumento da alíquota de ICMS sobre o etanol hidratado promovido pelo governo do Estado de São Paulo, que começará a valer a partir da segunda quinzena de janeiro, poderá reduzir a competitividade do biocombustível nas bombas ou diminuir o preço recebido pelas usinas, segundo executivos e analistas. O ICMS para distribuidores e revendedores passará de 12% para 13,3%.

O impacto do aumento da carga tributária sobre os preços recebidos pelas usinas poderá ser compensado caso a Petrobras decida repassar a recente elevação do petróleo e da gasolina no mercado internacional para os preços domésticos da gasolina.

Nas contas da trading Czarnikow, o preço do etanol na usina teria que cair por volta de 3,2% para que o preço do biocombustível não tenha que subir nas bombas — o que, aos preços da última semana segundo indicador Celea/Esalq, representaria uma redução de R$ 0,65 por litro.

Em simulação feita pela trading SCA, a redução seria mais próxima de R$ 25 o metro cúbico (R$ 0,25 o litro).

Essa absorção do impacto da carga tributária pelos produtores manteria a correlação de preços entre o etanol e a gasolina no Estado, que segundo o último levantamento da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), ficou em 71% na semana passada, já 1 ponto acima da paridade.

Porém, uma possível alta da gasolina no mercado interno pode acabar interferindo nessa equação, observou Martinho Ono, diretor da SCA. Hoje o petróleo disparou nas bolsas internacionais diante da decisão de Arábia Saudita de cortar sua produção, além do acordo em discussão na Opep.

Nas contas do analista, se a Petrobras repassar integralmente a alta do petróleo para a gasolina A, vendida nas refinarias, o preço da gasolina C nas bombas poderia subir 12 centavos por litro, abrindo espaço para que o etanol subisse nas bombas sem perder competitividade.

Ono ressaltou ainda que os preços do etanol também dependerão do ritmo de vendas, já que a produção da safra 2020/21 já se encerrou e os estoques precisam garantir o abastecimento até o fim de março.

Fonte: Valor Econômico

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Greve: petroleiros incluem preço dos combustíveis na pauta de reivindicações

Infomoney 26/11/2019 – O preço dos combustíveis entrou na pauta de reivindicações…

Ipiranga defende simplificação de normas para biocombustíveis

A Ipiranga, uma das maiores distribuidoras de combustíveis do Brasil, avalia que…

Preço médio do etanol subiu em 14 estados na semana passada, diz ANP

Os preços médios do etanol hidratado subiram em 14 estados na última semana, de acordo com levantamento da ANP.