Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Possível lockdown em outros países e incertezas em relação a vacina contra a Covid-19 diminuem devem diminuir demanda do combustível

O mercado de etanol no Brasil pode sentir os reflexos de uma nova onda da Covid-19, conforme aponta relatório Agro Mensal, elaborado pelo Itaú BBA. De acordo com o documento, a possível segunda onda da doença e a incerteza do plano de imunização nacional podem reduzir a demanda de combustível no país, além das preocupações de lockdown em outros países, que devem afetar negativamente os preços do petróleo no mercado internacional.

O relatório do Itaú BBA também destaca os fatos que impactaram os preços do biocombustível no último ano. A exemplo das vendas de etanol hidratado somou 1,7 bilhão de litro, queda de 8,9% em relação a outubro do mesmo ano, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Em novembro, os preços do biocombustível ficaram em patamares próximos à equivalência do fóssil nas bombas de São Paulo, o maior polo de biocombustíveis do país.

Em Paulínia, o preço do hidratado fechou em R $2,10/L em dezembro, representando uma queda de 2,3% em relação à última semana do mês anterior. Mesmo com a demanda mais aquecida com o final de ano, as incertezas da pandemia e medidas restritivas dos governos levaram as distribuidoras a serem mais cautelosas no volume de compra. segundo

Isso ajuda a explicar a queda dos preços do biocombustível nas usinas a despeito dos aumentos dos preços do etanol na bomba a reboque da elevação da usina.

Fonte: Canal Rural

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Mistura de biodiesel do 6º bimestre será anunciada depois de ofertas das usinas

Teremos mais um bimestre de mistura de biodiesel reduzida. Essa parece ter…

Preço médio do etanol sobe na semana em 18 Estados, diz ANP

Nos postos pesquisados pela ANP em todo o País, o preço médio do etanol subiu 1,06% na semana ante a anterior, de R$ 3,124 para R$ 3,157 o litro