Biden: OPEP e Rússia devem bombear mais petróleo para ajudar a classe trabalhadora da América

  • Biden: A recusa da OPEP + em aumentar a produção de petróleo bruto está afetando a classe trabalhadora da América
  • A secretária de Energia, Jennifer Granholm, culpa OPEP + pelos altos preços do petróleo

A recusa da OPEP + em aumentar a produção de petróleo bruto está afetando a classe trabalhadora da América, disse o presidente Biden em entrevista coletiva após a reunião do G20 em Roma.

“Eu acho que a ideia de que a Rússia e a Arábia Saudita e outros grandes produtores não vão bombear mais petróleo para que as pessoas possam ter gasolina para ir e voltar do trabalho, por exemplo, não é, não está certo”, disse Biden. citado por Russian TASS.

“A decisão [da OPEP + de conter o aumento da produção] tem profundo impacto nas famílias da classe trabalhadora apenas para ir e vir para o trabalho”, acrescentou o presidente dos Estados Unidos, citado pelo NPR.

Os comentários feitos pelo presidente dos Estados Unidos foram posteriormente ecoados no mesmo dia de forma mais contundente pela secretária de Energia Jennifer Granholm, que culpou diretamente o cartel da OPEP por manter os preços altos.

“Os preços do gás, é claro, são baseados em um mercado global de petróleo. Esse mercado de petróleo é controlado por um cartel. Esse cartel é a Opep”, disse Granholm ao Meet the Press da NBC. “Para que o cartel tenha mais voz sobre o que está acontecendo.”

Ao mesmo tempo, Granholm observou que a indústria do petróleo não poderia “mudar de posição” para a produção ao se recuperar dos efeitos da pandemia e isso, também, contribuiu para preços mais altos resultantes da oferta restrita.

Mesmo que os fatores que influenciam os preços do gás nas bombas nos Estados Unidos possam estar fora do país, os efeitos dos movimentos de preços já estão custando a aprovação de Biden entre os eleitores. De acordo com a NPR, sua classificação está bem abaixo de 50%, com 70% dos americanos acreditando que o país não está indo na direção certa.

Também na entrevista coletiva, o presidente dos Estados Unidos disse estar confiante de que o país conseguirá cumprir a meta de seu governo de corte de emissões, que é de 50% a partir de 2005 até 2030. Mesmo assim, o presidente reconheceu que a mudança para as energias renováveis ​​não pode acontecer da noite para o dia.

“Superficialmente, parece uma ironia”, disse Biden, referindo-se ao seu apelo à OPEP + para adicionar mais produção de petróleo enquanto se dirige para a COP26 para discutir a redução das emissões globais. “Mas a verdade da questão é … todo mundo sabe que a ideia de que seremos capazes de migrar para a energia renovável da noite para o dia … simplesmente não é racional.”

Petróleo despenca até 13% e WTI fica abaixo de US$ 70, com temor por nova cepa

Os contratos futuros do petróleo despencaram nesta sexta-feira, 26, com recuo de até 13%. Tanto em Nova York, quanto em Londres os ativos tiveram o pior desempenho desde o início de setembro, com o WTI tendo perdido a marca dos US$ 70.

Governo vende 55 milhões de barris de petróleo do pré-sal por R$ 25 bilhões

A PPSA (Pré-Sal Petróleo SA) vendeu nesta sexta-feira (26) 55 milhões de barris de petróleo do pré-sal que pertencem à União. Pelas cotações atuais, o leilão representa uma arrecadação de R$ 25 bilhões para o governo federal no prazo de cinco anos.

Opep+ monitora nova variante da Covid-19, com receios sobre perspectiva, dizem fontes

A Opep+ está monitorando os desenvolvimentos em torno da nova variante do coronavírus, disseram fontes nesta sexta-feira, com alguns expressando preocupação de que isso possa piorar as perspectivas do mercado de petróleo menos de uma semana antes de uma reunião para definir política.