Brasil exporta 88,84 milhões de litros de etanol em agosto, queda anual de 73%

No acumulado de 2021, volume de 1,28 bilhão de litros representa retração de 10,7%

Após junho e julho contabilizarem, cada um, mais de 200 milhões de litros de etanol brasileiro exportado, agosto apresentou uma queda considerável. No mês, o país enviou para fora de suas divisas 88,84 milhões de litros, declínio de 56,7% ante julho e de 72,9% na comparação com agosto de 2020.

O resultado foi divulgado na última sexta-feira, 3, pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia.

Segundo o órgão, os principais destinos foram Estados Unidos (41,30 milhões de litros), Coreia do Sul (22,97 mi L) e Venezuela (7,96 mi L).

Ainda de acordo com os dados apresentados, o biocombustível nacional foi vendido em média a US$ 509,30 – retração de 7,7% em relação julho, mas elevação de 22,1% frente ao mesmo período do ano passado. Por sua vez, a receita totalizou US$ 42,25 milhões, queda de 66,9% na comparação mensal e de 0,5% na anual.

No acumulado do ano, por sua vez, as exportações de etanol somam 1,28 bilhão de litros, diminuição de 10,7% em relação ao acumulado de janeiro a agosto de 2020, de 1,43 bilhão de litros. Apesar disso, a quantia está acima da vista em 2017, 2018 e 2019.

No período, o preço médio do produto brasileiro foi de US$ 508,50/m³, alta de 11,4% no comparativo anual. Ainda assim, o menor volume fez a receita total cair 0,5%, indo de US$ 653,68 milhões para US$ 650,47 milhões.

Ao longo de 2021, os principais destinos do etanol brasileiro foram: Coreia do Sul (453,56 milhões de litros), Estados Unidos (308,85 mi L), Índia (70,09 mi L), China (64,99 mi L) e Países Baixos (64,60 mi L).

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) se posicionou a favor da manutenção do atual modelo de funcionamento do mercado de revenda de derivados de petróleo.

Estes são os postos de combustíveis populares e preferidos por brasileiros

Os postos de combustível Petrobras BR, Ipiranga e Shell são as marcas com maior índice de popularidade entre os brasileiros, é o que aponta um estudo realizado pela empresa de pesquisa de satisfação e NPS (Net Promoter Score) SoluCX: as marcas foram citadas por 73,2%, 72,8% e 69,1% dos respondentes da pesquisa, respectivamente.

Guerra política no Brasil e economia mundial devem manter preço da gasolina nas alturas

Economistas dizem que toda vez que o discurso golpista avança, desconfiança cresce e dólar sobe, elevando o preço dos combustíveis. Motoristas de aplicativo dizem que serviço já não compensa diante dos custos.