BSBIOS encerrou o ano passado com a marca de 755 milhões de litros de biodiesel produzido, (BSBIOS Paraguai/Assessoria de imprensa)

Na semana em que a BSBIOS completa 16 anos, a empresa do ECB Group, divulgou a quinta edição do Relatório de Sustentabilidade BSBIOS 2020 com destaque para as práticas exercidas nas dimensões sociais, econômicas ambientais e de governança e ética.

O documento apresenta estudos sobre o impacto ambiental, com destaque para o resultado estimativo do valor do carbono sobre as emissões evitadas pela empresa.

E um outro estudo que atualiza sobre o impacto econômico da BSBIOS nos municípios nos quais a empresa está inserida.

O relatório segue as diretrizes da Global Reporting Initiative (Organização Internacional de Padrões Independente), adotando o modelo ESG (Environmental, Social and Governance) e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Segundo o levantamento, que compreende de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2020, ficou evidenciado o comprometimento da BSBIOS com a geração de valor sustentável.

Nesse período, a empresa modificou sua estrutura societária adquirindo 50% das ações que pertenciam a Petrobras (PETR3; PETR4) Biocombustível e, assim, tornou-se detentora de 100% do negócio.

Somado a isso, a BSBIOS encerrou o ano passado com a marca de 755 milhões de litros de biodiesel produzido, seguindo assim pelo terceiro ano consecutivo como a maior produtora de biodiesel do mercado brasileiro.

Em 2020, a empresa realizou investimentos em infraestrutura, tecnologia e inovação de mais de R$ 45 milhões em suas unidades.

A indústria de biodiesel de Passo Fundo(RS) foi ampliada em 43,5%, alcançado a capacidade de produzir 414 milhões de litros de biodiesel por ano (BSBIOS Passo Fundo – RS)

No começo de 2021, a empresa realizou novas ampliações na unidade de Passo Fundo (RS) e de Marialva (PR), que agora tem capacidade para fabricar 468 milhões de litros de biodiesel por ano. Ou seja, a companhia está com uma capacidade total de 936 milhões de litros de biodiesel por ano.

Além disso, a empresa alcançou em 2020 um faturamento de R$ 5,3 bilhões (57,5% superior ao ano anterior), lucro líquido de R$ 311,6 milhões e EBITDA de R$ 574,4 milhões, o que significa o melhor resultado financeiro da história da companhia.

O impacto da BSBIOS nos municípios de Passo Fundo e Marialva também são expressivos.

A companhia foi responsável por 19,6% do PIB de Passo Fundo e 29,8% do PIB de Marialva, contribuindo com impostos na soma de R$ 1 bilhão superior devido à atividade da BSBIOS no município gaúcho e de R$ 470 milhões para o município paranaense.

Em 2020, a empresa também investiu R$ 3,4 milhões em projetos sociais alinhados com seu negócio e seu propósito, tendo como responsabilidade apoiar ações que beneficiem a comunidade, entre eles iniciativas que contribuíram para a prevenção do coronavírus.

“Esse resultado reflete nosso compromisso de crescer de forma orgânica, com um portfólio de investimentos em constante renovação. A excelência operacional, os cuidados com a preservação ambiental e a cooperação com as comunidades nas quais estamos inseridos, são valores sustentados e difundidos pela companhia desde a sua criação”, afirma Erasmo Carlos Battistella, presidente da BSBIOS.

A empresa possui certificações nacionais e internacionais de seus produtos, que atestam a qualidade, a sustentabilidade e sua conformidade. Entre elas, destacam-se a certificação ISCC – International Sustainability and Carbon Certification EU (Certificação Internacional em Sustentabilidade e Carbono) e o Renovabio.

A ISCC atesta que o biodiesel produzido pela BSBIOS, desde a produção da matéria-prima sustentável (gorduras animais) até a sua industrialização, reduz de 86% à 90% a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE), se comparado ao diesel fóssil, colaborando para a redução de emissões de CO2 na atmosfera.

Já o Renovabio, à credencia participar do mercado de CBIOS (Créditos de Descarbonização), com a produção de biodiesel a partir de gorduras animais.

A companhia atua no setor de energias renováveis a favor da economia de baixo carbono e, desde 2018, faz a gestão das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) de suas operações.

Após três anos dessas ações, é possível verificar os efeitos da gestão, ou seja, mesmo com o aumento de 38% na produção, a intensidade de emissões de GEE sofreu uma redução de 9,1%, passando de 30,6 para 27,8 kgCO2e/m3 de biodiesel B100.

Isso significa que o processo de produção de biodiesel está sendo mais eficiente quanto à redução de GEE na atmosfera.

Erasmo Carlos Battistella, presidente da BSBIOS
“Planejamos está entre as três maiores produtoras de biocombustíveis do mundo, além de nos tornarmos Carbono Neutro até 2030”  (Presidente da BSBIOS/imagem cedida)

“Buscamos inovação e avanços tecnológicos, reconhecendo o nosso papel no contexto do desenvolvimento sustentável de nossas atividades, estando absolutamente comprometidos com os temas socioambientais e de governança (ESG)”, conclui Battistella.

Ômega Green no Paraguai

Visando atingir os objetivos do seu novo Planejamento Estratégico, no qual está projetando o seu desenvolvimento até 2030, a BSBIOS entra definitivamente no mercado de Biocombustíveis Avançados ou de segunda geração.

Por meio de capitalização da ECB holding na BSBIOS, a Companhia passou a ter o controle da empresa ECB Paraguai, assumindo a liderança do projeto da Biorefinaria Omega Green.

Com isso, a empresa passou a ser denominada BSBIOS Paraguai e em seu portfólio de produtos irá produzir biocombustíveis avançados (Diesel Renovável – HVO, Bioquerosene – SPK e Naphtha).

O Ômega Green está em fase de finalização de projeto de engenharia executiva, com obras de construção previstas para iniciar no segundo semestre de 2021, na cidade de Villeta, no Paraguai.

Com capacidade para produzir 20 mil barris de biocombustíveis avançados por dia, a partir de fontes renováveis (soja, pongâmia, carinata, óleo reciclado – UCO e gorduras animais), sua produção está 90% vendida para grandes empresas, como a BP e a Shell (RDSA34).

Fonte: Money Times

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Concorde a Opep+ ou não, cortes extra na produção de petróleo parecem inevitáveis

LONDRES (Reuters) – Mesmo que produtores de petróleo da Opep+ concordem formalmente…

Competição no refino do petróleo deve reduzir custo do combustível, diz Cade

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) informou hoje que tem trabalhado…

O que o Poder Maior dos Emirados Árabes Unidos Significa para o Petróleo e Opep?

Em sua reunião de 30 de novembro, realizada virtualmente, a Organização dos…

Painel da Opep+ reduz projeção para crescimento da demanda por petróleo

A Opep+ reduziu projeções de crescimento da demanda por petróleo em 2021 em 300 mil barris por dia, o que reflete preocupações sobre a recuperação do mercado à medida que novos “lockdowns contra o coronavírus entram em vigor, segundo relatório de um painel de especialistas do grupo visto pela Reuters.