Casa Branca volta a dizer que pressiona Opep a agir para conter alta do petróleo

Descompasso entre oferta reduzida e demanda em alta tem elevado os preços do petróleo e gerado pressões inflacionárias

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, voltou a dizer que os Estados Unidos têm pressionado os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para que resolvam as restrições na produção da commodity energética.

Um descompasso entre oferta reduzida e demanda em alta tem elevado os preços do petróleo e gerado pressões inflacionárias no mundo.

Durante uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira, Psaki também reiterou que o governo Joe Biden usará “cada alavanca à sua disposição” para aliviar os problemas de logística que têm levado à falta de alguns produtos no país.

Neste mês, o democrata anunciou que o porto de Los Angeles, um dos principais do país, passará a funcionar 24 horas por dia.

Ao ser questionada sobre a possibilidade de as negociações parlamentares em torno dos pacotes econômicos do governo resultarem na retirada de itens da agenda de combate à mudança climática, a secretária de imprensa respondeu que nada está decidido.

Segundo Psaki, mesmo que o montante do pacote social e ambiental, atualmente orçado em US$ 3,5 trilhões, seja reduzido, o impacto do projeto de lei será “histórico”.

Produção de etanol anidro cresce 22,3% no Nordeste, diz NovaBio

Com a safra 2021/22 em andamento, dados compilados pela Associação dos Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio) sinalizam que a moagem de cana no Norte-Nordeste atingiu 28,67 milhões de toneladas no acumulado até 15 de novembro.

Valor do petróleo cai 2% e Petrobras ganha espaço para cortar preços no Brasil

O preço do barril de petróleo tipo brent atingiu os US$ 67,44 nesta quinta-feira, 2, o que representa uma queda de 2,08% em relação aos valores praticados na data anterior.

Abastecer com GNV rende quase o dobro que gasolina e etanol, aponta Abegás

Um levantamento da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostra que, atualmente, o Gás Natural Veicular (GNV) tem rendido quase o dobro da gasolina e do etanol.