China acerta com EUA liberação de reservas de petróleo, dizem fontes

(Reuters) – A China liberará petróleo de seus estoques estratégicos nacionais por volta do feriado do Ano Novo Lunar, que começa em 1º de fevereiro, como parte de um plano coordenado pelos Estados Unidos com outros grandes consumidores para reduzir os preços globais, disseram fontes à Reuters.

As fontes, que têm conhecimento das negociações entre os dois maiores consumidores de petróleo do mundo, disseram que a China concordou no final de 2021 em liberar uma quantidade não especificada de petróleo, dependendo dos níveis de preço.

“A China concordou em liberar uma quantidade relativamente maior se o petróleo estiver acima de 85 dólares o barril, e um volume menor se o petróleo ficar perto do nível de 75 dólares”, disse uma fonte, sem dar mais detalhes.

Os preços do petróleo Brent operavam acima de 85 dólares o barril nesta sexta-feira.

A liberação dos estoques de petróleo pela China ocorrerá por volta do Ano Novo Lunar, disseram as fontes. A China estará fechada para o maior feriado anual de 31 de janeiro a 6 de fevereiro.

A Administração Nacional de Alimentos e Reservas Estratégicas da China não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

A liberação acordada de reservas pela China é resultado de uma série de discussões, relatadas pela Reuters em novembro, que o governo Biden manteve com outros grandes consumidores de petróleo depois que a oferta apertada levou os preços globais do petróleo a altas de vários anos.

Petróleo tem pior semana desde março, com WTI abaixo de US$ 90

Os touros do petróleo costumavam sorrir para o mercado de trabalho dos EUA com orgulho. Agora, eles não têm mais tanta certeza se deveriam.

Medos de recessão tomam conta dos mercados de petróleo

Os preços do petróleo estão de volta aos níveis em que estavam antes de a Rússia invadir a Ucrânia, destacando que uma recessão global e a destruição da demanda são agora o foco central dos comerciantes.

Petróleo cai cerca de 7% na semana e preço negociado volta a ser o mesmo de fevereiro

Brent e WTI operam em alta moderada, rompendo o fechamento negativo de dois pregões consecutivos. Mas a recuperação de hoje, no patamar de 1% para ambas as referências, não chega perto do acumulado de perdas da semana, que somam cerca de 7%.