Comissão do Senado debate projeto sobre política de preços da Petrobras

O assunto entrou na pauta a pedido do presidente da Comissão de Assuntos Econômicos da Casa, o senador Otto Alencar (PDS/BA), e propõe alterar política de paridade de preço internacional

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado deve debater nesta terça-feira, 16, o projeto de lei 1472/2021, que altera a política de preços da Petrobras. O assunto entrou na pauta da comissão a pedido de seu presidente, o senador Otto Alencar (PDS/BA).

O projeto é de autoria do senador Rogério Carvalho (PT/SE) e a relatoria está a cargo do senador Jean Prates (PT/RN), que ainda não entregou o seu relatório. A expectativa é que as discussões desta terça-feira abram caminho para o debate, que propõe o fim da política de paridade do preço internacional adotada pela estatal.

Na terça-feira, dia 9, Carvalho (PT-SE) defendeu durante reunião da CAE seu projeto e afirmou que a alteração na política de preço de combustíveis da Petrobras reduziria o preço da gasolina a R$ 5.

“Se a Petrobras não utilizasse a paridade do preço de importação, o preço médio da gasolina na bomba poderia ser hoje de R$ 5, considerando uma margem de lucro de 50% sobre os custos da Petrobras. Neste valor, além do custo final da Petrobras para produzir a gasolina com a margem de lucro de 50% já estão incluídos os tributos federais, ICMS, margem de distribuição e revenda e o custo do etanol anidro, que é misturado na gasolina”, informou o senador através de nota.

Também na semana passada, a pedido do líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), a comissão convidou o ministro da Economia, Paulo Guedes, para falar sobre o preço dos combustíveis ao colegiado. No mesmo dia, a CAE aprovou requerimento de convite ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, para prestarem esclarecimentos sobre o tema na comissão. A data da audiência ainda

Petróleo despenca até 13% e WTI fica abaixo de US$ 70, com temor por nova cepa

Os contratos futuros do petróleo despencaram nesta sexta-feira, 26, com recuo de até 13%. Tanto em Nova York, quanto em Londres os ativos tiveram o pior desempenho desde o início de setembro, com o WTI tendo perdido a marca dos US$ 70.

Governo vende 55 milhões de barris de petróleo do pré-sal por R$ 25 bilhões

A PPSA (Pré-Sal Petróleo SA) vendeu nesta sexta-feira (26) 55 milhões de barris de petróleo do pré-sal que pertencem à União. Pelas cotações atuais, o leilão representa uma arrecadação de R$ 25 bilhões para o governo federal no prazo de cinco anos.

Opep+ monitora nova variante da Covid-19, com receios sobre perspectiva, dizem fontes

A Opep+ está monitorando os desenvolvimentos em torno da nova variante do coronavírus, disseram fontes nesta sexta-feira, com alguns expressando preocupação de que isso possa piorar as perspectivas do mercado de petróleo menos de uma semana antes de uma reunião para definir política.