A demanda nacional por combustíveis do Ciclo Otto registrou uma elevação no mês de outubro, alcançando 4,78 bilhões de litros – deste volume, mais de 30% foi de etanol. O dado foi divulgado na última sexta-feira (29) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Segundo os números apresentados, a venda mensal de etanol hidratado atingiu 2,06 bilhões de litros. Ainda que isso represente uma queda de 0,34% na comparação com o volume registrado em outubro de 2018, esta foi a primeira vez no ano em que a demanda mensal ultrapassou a marca de 2 bilhões de litros.

A maior parte deste consumo foi registrada em São Paulo, com o estado sendo responsável por 1,08 bilhões de litros – 6,7% a mais no comparativo anual.

Por sua vez, no acumulado do ano, a demanda pelo biocombustível soma 18,43 bilhões de litros, ultrapassando em 19,8% o resultado visto no mesmo período do ano passado. Em 2018, aliás, o consumo anual totalizou 19,39 bilhões de litros, o maior valor registrado até então. Para que 2019 ultrapasse esse montante serão necessários apenas 960 milhões de litros, algo que deve acontecer já em novembro.

Ao mesmo tempo em que o consumo de etanol registrou crescimento, o de gasolina apresentou queda de 1,5%. De janeiro a outubro de 2019, a demanda por gasolina C – que possui mistura de 27% de etanol anidro – foi de 31,38 bilhões de litros.

No acumulado do ano, o consumo de combustíveis do Ciclo Otto totalizou 44,41 bilhões de litros. Por mais que o número seja 3,87% superior ao de 2018 – quando o mercado de combustíveis apresentou um desaquecimento –, ele ainda é inferior ao registrado em 2017.

No acumulado de dez meses de 2019, 18,425 bilhões de litros de hidratado foram vendidos, alta de 19,8% sobre os 15,384 bilhões de litros comercializados entre janeiro e outubro de 2018.

A venda de gasolina C (com a mistura de até 27% de etanol anidro) atingiu 3,322 bilhões de litros em outubro, altas de 8,8% sobre igual mês de 2018, quando foram comercializados 3,053 bilhões de litros, e de 7,5% sobre o total de 3,089 bilhões de litros de setembro deste ano. No acumulado de dez meses de 2019, a venda de gasolina soma 31,382 bilhões de litros, queda de 1,6% sobre igual período de 2018, de 31,877 bilhões de litros.

Com o aumento da demanda por etanol sendo superior a taxa de crescimento do consumo de forma ampla, o biocombustível registra um ganho de mercado. “A maior procura por etanol nas usinas, mesmo com um cenário de competitividade do hidratado frente a gasolina menos favorável do que o registrado no último ano, é um indicativo de que o consumidor não está levando em consideração somente as vantagens econômicas, mas também os conhecidos benefícios ambientais proporcionados pelo etanol”, acredita o diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Antonio de Padua Rodrigues.

Fonte: nocaCana.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VOCÊ PODE GOSTAR

Venda de gasolina e combustível via aplicativo é ilegal, diz ANP

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) convocou a…