Contra disparada semanal na bomba, etanol surpreende com a menor alta em cinco semanas na usina

O etanol hidratado não atingiu alta semanal na usina que parecia ser recorde, inclusive como apontou Money Times baseado em fonte do mercado. Ao contrário, acumulou a menor valorização frente as quatro semanas anteriores

Com 0,23% a mais – R$ 3,1878, pelo Cepea -, deve tirar um pouco da pressão de aumentos mais significativos nos postos, a partir de segunda, depois de acumular disparada de 1,45% nas bombas, de 23 a 27, com o litro, em média, a R$ 4,562.

O reajuste para o consumidor nos últimos cinco dias úteis foi três vezes superior ao da gasolina, pela pesquisa da ANP.

A produção menor de hidratado, como tem constatado a Unica, e o petróleo voltando a linha de US$ 70 a US$ 71 o barril, além de altas diárias nas ofertas das distribuidoras, induziam a potencial de forte ganho semanal.

Mas as usinas tiraram o pé do acelerador, percebendo que a perda de competitividade do etanol para os automóveis flex, já significativa, poderia fazê-las acabar carregando mais estoques, mesmo que a produção continue menor nesta quinzena.

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) se posicionou a favor da manutenção do atual modelo de funcionamento do mercado de revenda de derivados de petróleo.

Estes são os postos de combustíveis populares e preferidos por brasileiros

Os postos de combustível Petrobras BR, Ipiranga e Shell são as marcas com maior índice de popularidade entre os brasileiros, é o que aponta um estudo realizado pela empresa de pesquisa de satisfação e NPS (Net Promoter Score) SoluCX: as marcas foram citadas por 73,2%, 72,8% e 69,1% dos respondentes da pesquisa, respectivamente.

Guerra política no Brasil e economia mundial devem manter preço da gasolina nas alturas

Economistas dizem que toda vez que o discurso golpista avança, desconfiança cresce e dólar sobe, elevando o preço dos combustíveis. Motoristas de aplicativo dizem que serviço já não compensa diante dos custos.