Foto: (Jim Wilson/The New York Times)

IBP promove painel para debater as contribuições dos mercados de combustíveis e biocombustíveis e da indústria automobilística para a descarbonização da economia brasileira

O processo da transição energética como um todo é complexo e varia de acordo com a realidade de cada país – não há uma solução única, mas sim um conjunto de soluções para atender este enorme desafio, que demandará compromisso de vários setores da economia.

O segmento de combustíveis e automobilístico, em particular, vivem uma transformação global para promover o cumprimento às metas de descarbonização e tornar as economias globais mais sustentáveis.

Na agenda do setor, estão os debates sobre a inserção dos biocombustíveis avançados na matriz brasileira, a evolução dos motores, o Renovabio e o novo planejamento integrado – em elaboração no governo federal – o Combustível do Futuro, programa coordenado pelo Ministério de Minas e Energia (MME), que tem a finalidade de harmonizar diferentes iniciativas do governo e incrementar o desenvolvimento tecnológico para descarbonizar a nossa matriz de transportes.

Esses temas serão pauta do Contribuições para o net zero: os bicombustíveis como diferencial para o Brasil painel que vai reunir agentes do mercado de combustível, automotivo e do governo, na próxima quarta (21 de julho), às 17h30.

“O Brasil está mais bem posicionado e próximo ao perfil almejado para a matriz energética mundial – 48% de sua matriz é atendida por fontes renováveis. Mas, não podemos descuidar da matriz de transportes – predominantemente rodoviária, que ainda é muito dependente dos combustíveis fósseis e acompanhar a evolução dos motores, cuja indústria está inserida em um contexto global”, afirma Valéria Lima, diretora executiva de Downstream do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP).

Para isso, é importante discutir soluções para o futuro, que no Brasil, passa pela inserção de novas tecnologias no mercado de biocombustíveis, e entender os desafios e as oportunidades das alternativas existentes para estimular a combinação custo-eficiente de combustíveis renováveis, da hibridização e eletrificação dos motores, do biorrefino e outras iniciativas.

“Se os países avançarem com a eletrificação, quais os caminhos que estamos construindo para essa indústria abraçar as especificidades brasileiras?”, questiona Valéria.

E se a tendência clara é que o mundo caminha nesta direção, o desafio brasileiro é, também, propor saídas para aproveitar ao máximo suas potencialidades e vantagens competitivas.

“Claro que precisamos olhar essa tendência mundial. Mas, é preciso entender as particularidades e a vocação natural de cada país nesta caminhada, sem comprometer o compromisso que é de todos – sobretudo diante de um mercado tão relevante como o do Brasil, diz.

Contribuições para o net zero: os biocombustíveis como diferencial para o Brasil
Transmissão ao vivo, quarta-feira (21), às 17h30.
O painel contará com a participação de Henry Joseph, diretor técnico da ANFAVEA; Pietro Mendes, diretor de Biocombustíveis do MME; Sandro Paes Barreto, gerente geral de Marketing da Petrobras; e Valéria Lima, diretora executiva de Downstream do IBP.

O evento é uma produção da agência epbr, com patrocínio do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP).

Fonte: epbr

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Mercado vê alta do etanol na usina esta semana pondo em risco a vantagem

Até o encerramento dos negócios nesta sexta (4) com o etanol hidratado, agentes do mercado acreditam que a semana fechará com alta significativa do produto nas fábricas.

Petrobras mais que dobra importação de diesel e gasolina para compensar paralisações

A operação da Petrobrás no segundo trimestre deste ano foi um ponto fora da curva. Com plataformas e refinarias paradas para manutenção, a empresa foi obrigada a compensar quedas pontuais de produção com importação de combustíveis. A crise hídrica também ditou o mercado de energia elétrica, no período.

Resumo Semanal Combustíveis 05/Fev/21

Confira as principais informações e tendências da semana sobre o mercado de combustíveis no Brasil.

Etanol continua competitivo ante gasolina apenas em 3 estados, diz ANP

Os preços médios do etanol na semana encerrada no sábado (28) mostraram-se…