Segundo pesquisadores do Cepea, os reajustes acontecem num cenário de entressafra (Imagem: Paulo Fridman)

As cotações dos etanóis anidro e hidratado continuaram subindo de forma expressiva em São Paulo na primeira semana de março, de acordo com informações do Cepea.

Entre 1º e 5 de março, em São Paulo, o Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado (preço ao produtor) fechou a R$ 2,9071/litro (sem ICMS e sem PIS/Cofins), forte avanço de 7,27% em relação à semana anterior.

No caso do etanol anidro, o Indicador CEPEA/ESALQ registrou alta de 7,07% no mesmo comparativo, com média de R$ 3,1366/litro (sem PIS/Cofins).

Segundo pesquisadores do Cepea, os reajustes aconteceram num cenário de entressafra, com a diminuição natural dos estoques de combustíveis nas unidades produtoras, e também de fatores externos, como as elevações dos preços da gasolina na CME Group (contrato RBOB de gasolina reformulada) e do petróleo tipo WTI, referência nos Estados Unidos.

Fonte: CEPEA

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Saudi Aramco eleva preços do petróleo para Ásia e EUA em fevereiro

A estatal saudita Saudi Aramco (SE:2222) divulgou nesta quarta-feira, 6, as fórmulas…

Petróleo é commodity, cobrada em dólar e não há como fugir, diz Castello Branco

O presidente da Petrobras (PETR3;PETR4), Roberto Castello Branco, defendeu nesta quinta-feira, 25, novamente a política de preços de combustíveis da estatal.

Petrobras pode baixar preço do diesel em 8%, se Selic subir e dólar cair para R$ 5

Trocar o comando da Petrobras (PETR3; PETR4) pode ser o jeito mais fácil de o presidente Jair Bolsonaro impedir novos reajustes dos combustíveis e agradar os caminhoneiros, mas os próprios mecanismos de mercado seriam capazes de reduzir o preço do diesel entre R$ 0,20 e R$ 0,42 por litro.