Demanda por etanol já supera a da gasolina

O consumo de etanol já supera o da gasolina e tende a crescer mais.

Em 2018, a demanda pelo biocombustível no Brasil chegou a 33,7 bilhões de litros. Já o consumo de gasolina ficou em 26,5 bilhões de litros.

As informações estão em levantamento de Marcelo Gauto, especialista em petróleo, gás e energia, disponibilizado em seu perfil no LinkedIn.

O trabalho de Gauto emprega dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

“A demanda por etanol no Brasil já é maior do que a de gasolina e deve aumentar ainda mais por conta do RenovaBio“, destaca ele.

Política Nacional de Biocombustíveis, ou RenovaBio, entra em vigor no próximo dia 24 deste mês de dezembro e reconhece os biocombustíveis (etanol, biodiesel, entre outros) como redutores da emissão de gases de efeito-estufa.

Capacidade instalada

O levantamento de Gauto revela que em 2018 a capacidade instalada de gasolina tipo A (produzida nas refinarias, sem a adição de etanol) era de 30 bilhões de litros.

A produção ficou em 24,9 bilhões de litros.

O país conta com 15 refinarias.

Já as 384 unidades produtoras de etanol hidratado, conforme Gauto, tinham em 2018 capacidade instalada de 42 bilhões de litros.

Elas produziram 33 bilhões de litros do biocombustível no ano passado.

Fonte: jornalcana.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Etanol segue assombrado por Petrobras (PETR4) desidratar mais a gasolina, após o diesel

O etanol hidratado foi poupado no final da semana passada, quando a Petrobras (PETR4) apenas diminui o preço do diesel. Mas seguiu e segue assombrado pela possibilidade real de que a estatal reduza a gasolina também.

Goldman Sachs reduz projeções para petróleo no curto prazo, mas segue vendo preços acima de US$ 100 o barril

Os preços do petróleo brent tiveram queda de 25% desde o início de junho, fechando a última sexta-feira (5) na casa dos US$ 94 o barril, sendo puxados recentemente por uma crescente gama de preocupações: recessão, política de Covid-zero da China e setor imobiliário, liberação de reservas estratégicas dos EUA e produção russa se recuperando bem acima das expectativas.

ANP rejeita aumento de estoques mínimos de diesel, em alívio para distribuidoras

A diretoria da ANP rejeitou nesta sexta-feira, 5, uma proposta de aumento de estoques mínimos de diesel A (puro) S10 entre setembro e novembro para mitigar riscos de desabastecimento em meio à oferta global apertada do combustível, mas aprovou um reforço do monitoramento do suprimento nacional.