Ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque em uma conferência no Rio de Janeiro 10/10/2019 REUTERS/Ian Cheibub

(Reuters) – O consumo de combustíveis em geral teve forte retração no Brasil em abril, em meio ao impacto de medidas de isolamento adotadas para conter a disseminação do coronavírus, com a demanda por etanol despencando 49% na comparação anual, disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, nesta quinta-feira.

A demanda por diesel, o combustível mais utilizado do Brasil, fechou o mês passado com queda de 20%, enquanto na gasolina houve recuo de 35% ante abril de 2019, mostraram dados do ministério, apresentados por Albuquerque em transmissão ao vivo do Tribunal de Contas da União (TCU) pela internet.

O querosene de aviação teve a maior baixa na demanda, de 84%, enquanto o gás liquefeito de petróleo (GLP), ou gás de cozinha, foi o único com avanço, de 12%, com consumidores estocando botijões devido à decretação de quarentenas pelo país.

Já a demanda por gás natural caiu 33% em abril na comparação com mesmo mês do ano passado.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Preço nos postos: Enquanto gasolina cai, etanol sobe e perde competitividade

Preço médio do biocombustível ainda é economicamente vantajoso para o consumidor em cinco estados

Petroleiros paralisam atividades pelo cumprimento do Acordo Coletivo fechado com a Petrobras

Federação que representa petroleiros de todo o País alerta a sociedade para…

CNPE aprova redução em metas do RenovaBio, mas não revela números

Nova resolução também deve abrir caminho para contratos de longo prazo para aquisição de biocombustíveis.

Vendas de diesel no Brasil avançam pelo 4º ano seguido em 2019; etanol tem recorde

As vendas de diesel pelas distribuidoras de combustíveis no Brasil subiram 3%…