Imagem: Lucas Lacaz Ruiz/Estadão Conteúdo

A perda de competitividade do etanol nos postos, ao final da semana anterior (dia 16), quando a paridade chegou a 76% do preço da gasolina em São Paulo, e como registrou Money Times, foi sentida ao longo desta pelos fabricantes.

O preço do hidratado recuou 4,53% nas indústrias, segundo o levantamento do Cepea no Estado, e vai para est segunda (24) cotado a R$ 2,9107, livres de impostos e fretes.

O preço diário do biocombustível caiu quatro vezes também na semana nas distribuidoras lotadas em Paulínia (SP).

Ainda assim a ANP confirmou também a elevação do etanol nos postos, bem como da gasolina e diesel.

As usinas tiveram de ceder nas ofertas, depois de altas expressivas entre 3 e 7 de maio, de 10,05%, e de 4,19%, entre os dias 10 e 14.

Estavam aproveitando os baixos inventários das distribuidoras e a menor produção de etanol, na medida que o açúcar está sendo privilegiado na produção, em razão dos preços e das fixações de exportações, e nem todas as usinas do Centro-Sul estavam com operações completas.

Havia – e há – cana atrasada pelo tempo mais seco.

Fonte: Money Times

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Caminhoneiros cobram reajuste de diesel até duas vezes por ano e reforçam intenção de parar dia 1º

O presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, afirma que a greve dos caminhoneiros prevista para 1º de fevereiro poderá ser maior do que a de 2018, no governo de Michel Temer.

Exportações sauditas de petróleo sobem para 7,09 milhões bpd em setembro

As exportações totais de petróleo da Arábia Saudita, incluindo petróleo bruto e…

BR Distribuidora: volume de venda de diesel está sendo retomado

“Tivemos impacto forte em março, mas já vemos volumes de diesel voltar para níveis pré-crise, o que de certa forma dá otimismo”, afirma o CEO da companhia

Petrobras ganha mais prazo do Cade para vender refinarias e ativos de gás

O órgão antitruste Cade atendeu nesta quarta-feira um pleito da Petrobras (PETR4) e prorrogou os prazos para que a estatal realize a venda de refinarias e ativos de gás, mas manteve obrigação para que os desinvestimentos sejam concluídos até o fim deste ano, conforme informou em comunicado.