Plataforma de petróleo (OSCAR CABRAL)

petróleo tem queda acentuada no pregão americano, seguindo o tombo vertiginoso em Londres nesta terça (23).

Respectivamente, o WTI perdeu 6,51%, na Bolsa Mercantil de Nova York, ficando em US$ 57,55 o barril, e o Brent em menos 6,30% na ICE Europe.

Havia conseguido uma pausa na queda na véspera, subindo aos US$ 64, mas terminou hoje em US$ 60,55.

A volta do que estão chamando de terceira onda da covid na Europa, com restrições e lockdowns se espalhando, aliada à lentidão da vacinação em alguns países, agravou o pânico em relação à retomada da economia e do consumo de combustíveis.

Fonte: Money Times

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Consumidores reclamam do preço da gasolina, mesmo com redução da Petrobras

Consumidores afirmam que valores cobrados nos postos permanecem elevados mesmo quando a Petrobras anuncia redução. Segundo a estatal, preços baixaram 11,4% ao longo deste ano, nas refinarias

Petróleo atinge máxima de 13 meses

Os preços do petróleo atingiram nesta segunda-feira o seu nível mais alto em cerca de 13 meses, já que a vacinação contra a Covid-19 promete reavivar a demanda e os produtores da commodity mantêm o fornecimento controlado.

Petróleo sobe com calmaria nos EUA e queda nos estoques de combustíveis

Os preços do petróleo subiam nesta quinta-feira com um dólar mais fraco, já que os temores de aumento da inflação nos EUA diminuíram, enquanto uma queda acentuada nos estoques de combustível norte-americano significava que um excesso de petróleo teria vida curta com o reinício das refinarias no Texas.

CNPE deve publicar em setembro metas de corte de emissões do RenovaBio para 2022-2031

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) deverá publicar no fim de setembro as metas compulsórias anuais de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa para o período 2022-2031