Os preços do diesel, combustível mais utilizado do Brasil, subiram novamente nos postos do país, na oitava semana consecutiva de alta, mostraram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta sexta-feira (25), enquanto a gasolina recuou pela segunda semana.

O levantamento da ANP apontou aumento de 0,24% em média nas cotações do diesel, para R$ 3,712 por litro, no mesmo dia em que a estatal Petrobras anunciou corte de cerca de 1,5% no preço do combustível em suas refinarias.

A última vez em que a Petrobras havia reajustado o diesel havia sido em 19 de setembro, com uma alta de 4,2% na sequência de fortes altas no preço internacional do petróleo após ataques a instalações da estatal saudita Aramco, ocorridos em 14 de setembro.

O recuo no diesel da estatal nesta sexta-feira veio após o petróleo ter devolvido ganhos, em meio a política de preços da companhia que segue as cotações internacionais da commodity e o câmbio.

Mas os repasses dos ajustes de preço nas refinarias para o consumidor final, nos postos, não são imediatos e ainda dependem de diversos fatores, como impostos, margens de distribuição e revenda e mistura de biocombustíveis.

Na gasolina, os preços tiveram leve recuo, de 0,02%, para R$ 4,378 por litro, em média, após terem caído também na semana anterior.

O mais recente movimento da Petrobras nas cotações da gasolina foi uma elevação de 2,5%, em 27 de setembro.

Já o etanol, concorrente da gasolina nas bombas, também avançou, para R$ 2,927 por litro (+0,83%).

Fonte: G1 Economia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

PETROBRAS: Venda de gasolina é confortável e a de diesel já superou o pré-crise

A venda de gasolina pela Petrobras está em um nível confortável atualmente, segundo o gerente executivo de Comercialização da estatal.

Bandeira branca se fortalece com crise e Ebitda de gigantes da distribuição recua

As principais distribuidoras de combustíveis do Brasil andaram de lado no segundo…