Distribuidoras são notificadas por não baixarem preços de combustíveis

Três distribuidoras de combustíveis, das cinco que atuam em Manaus, foram notificadas, nesta terça-feira (4), pelo Programa Estadual de Proteção e Orientação do Consumidor (Procon-AM). Amanhã (5), as outras duas, também vão receber o documento que pede explicações sobre a não redução no preço dos combustíveis.

O objetivo é que os estabelecimentos expliquem o motivo da redução do valor do preço do diesel e da gasolina, publicado pelo Governo Federal no último dia 1º, ainda não ter sido repassado aos postos de venda de combustíveis em vários municípios do Amazonas, conforme constatação do próprio Procon-AM e denúncias de consumidores.

A redução realizada pela Petrobras no valor da venda do diesel para as refinarias foi de 6% e no da gasolina,7,16%. “Redução alguma ainda não foi refletida nos postos de Manaus, e de acordo com denúncias de consumidores, o mesmo acontece em vários municípios do Amazonas. Queremos saber o motivo desse não-repasse que está trazendo prejuízo ao consumidor”, explica o titular do Procon-AM, Jalil Fraxe.

Na notificação, o Procon-AM exige cópia das notas fiscais das vendas dos produtos com o preço praticado anterior à redução publicada; o preço atual praticado; a quantidade de litros vendidos e comprados e a relação de postos os quais efetuaram a compra após a redução do dia 1º de junho.

Se as distribuidoras não apresentarem as exigências do Procon-AM e não tomarem as devidas providências quanto à redução dos preços, os estabelecimentos serão penalizados conforme o Código de Defesa do Consumidor.

Fonte: Fecombustíveis

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Etanol segue assombrado por Petrobras (PETR4) desidratar mais a gasolina, após o diesel

O etanol hidratado foi poupado no final da semana passada, quando a Petrobras (PETR4) apenas diminui o preço do diesel. Mas seguiu e segue assombrado pela possibilidade real de que a estatal reduza a gasolina também.

Goldman Sachs reduz projeções para petróleo no curto prazo, mas segue vendo preços acima de US$ 100 o barril

Os preços do petróleo brent tiveram queda de 25% desde o início de junho, fechando a última sexta-feira (5) na casa dos US$ 94 o barril, sendo puxados recentemente por uma crescente gama de preocupações: recessão, política de Covid-zero da China e setor imobiliário, liberação de reservas estratégicas dos EUA e produção russa se recuperando bem acima das expectativas.

ANP rejeita aumento de estoques mínimos de diesel, em alívio para distribuidoras

A diretoria da ANP rejeitou nesta sexta-feira, 5, uma proposta de aumento de estoques mínimos de diesel A (puro) S10 entre setembro e novembro para mitigar riscos de desabastecimento em meio à oferta global apertada do combustível, mas aprovou um reforço do monitoramento do suprimento nacional.