‘Estamos buscando rever paridade com preço internacional’, diz Bolsonaro sobre Petrobras

Presidente disse que estatal está aparelhada e não pode ser cobrado pelo preço dos combustíveis por não ter controle sobre a empresa

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar hoje a política de preços da Petrobras. Em entrevista a veículo de imprensa da Paraíba, o presidente afirmou que a estatal está aparelhada e alegou que não pode ser cobrado pelo preço dos combustíveis por não ter controle sobre a empresa.

“É uma empresa que eu não tenho domínio sobre ela, tem o seu aparelhamento. Ela busca o lucro. Tivemos problemas sérios no passado. Além da corrupção, a questão da paridade com o preço internacional. Estamos buscando rever esta questão”, afirmou o presidente à “Rede Correio Sat”.

Segundo Bolsonaro, a Petrobras entrega o litro da gasolina a R$ 2,30 e o valor não poderia chegar a R$ 7 na bomba. “O pessoal me cobra, mas a solução parte de outros órgãos”, reclamou.

O presidente citou ainda o caso do gás de cozinha, cuja tributação e custos de distribuição também considera excessivos. “O gás na Petrobras sai o equivalente, o de 13kg, a R$ 50. Está caro, mas não justifica chegar neste valor na ponta da linha. Estamos trabalhando para diminuir lá na origem o valor na Petrobras, mas falta a colaboração de mais setores, que dificilmente você consegue”, observou.

Questionado sobre o Auxílio Brasil, o presidente disse que espera aprovação da PEC dos Precatórios pelo Senado até a próxima semana, de forma a viabilizar o aumento do benefício social em dezembro.

Produção de etanol anidro cresce 22,3% no Nordeste, diz NovaBio

Com a safra 2021/22 em andamento, dados compilados pela Associação dos Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio) sinalizam que a moagem de cana no Norte-Nordeste atingiu 28,67 milhões de toneladas no acumulado até 15 de novembro.

Valor do petróleo cai 2% e Petrobras ganha espaço para cortar preços no Brasil

O preço do barril de petróleo tipo brent atingiu os US$ 67,44 nesta quinta-feira, 2, o que representa uma queda de 2,08% em relação aos valores praticados na data anterior.

Abastecer com GNV rende quase o dobro que gasolina e etanol, aponta Abegás

Um levantamento da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostra que, atualmente, o Gás Natural Veicular (GNV) tem rendido quase o dobro da gasolina e do etanol.