Mais prazo para o etanol americano entrar no Brasil sem impostos (imagem: Adobestock)

Quando a safra de cana no Nordeste, recém inciada, estiver já avançando para seu terceiro quarto, estará expirando a nova cota para o etanol importado, livre de impostos. O etanol dos Estados Unidos, subsidiado do milho à indústria, vai competir com o daqui por mais três meses, não haverá nenhum grama a mais de açúcar brasileiro indo para lá e, ainda, os importadores ganharão com o crédito do PIS/Cofins.

A mesma cota que encerrou em 31 de agosto e que, nesta quarta (9), o presidente Jair Bolsonaro a renovou por mais 3 meses, uma semana depois que seu ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, havia proposto um mês a mais. São 750 milhões de litros; passado o limite, 20% de imposto.

Há a esperança de que os americanos, que performam a quase totalidade do etanol free, praticamente internado só no Nordeste, sentem para conversar sobre o açúcar passado o período eleitoral no qual Donald Trump tenta a reeleição.

A cota brasileira para lá, de 150 mil toneladas, nunca foi mexida, mesmo quando Bolsonaro esticou o limite, sem imposto, em mais 150 milhões/l sobre os 600 milhões que venceram em 31 de agosto de 2019. A história agora pode repetir o ano passado. “Se não negociaram em 12 meses, vão negociar em três?”, critica Alexandre Lima, presidente da Feplana, dos plantadores nacionais de cana, e da usina cooperativista Coaf/Cruangi.

Desta reunião com o Bolsonaro, Lima não participou, mas levantou a questão que acredita não foi discutida em Brasília com as demais lideranças brasileiras da sucroenergia e do setor de etanol de milho.

“Há a questão do crédito do PIS/Cofins, que as distribuidoras que importam o etanol se creditam e depois usam no mercado interno”, diz Lima, que, em Recife, negociava o benefício do crédito presumido do ICMS para a usina da Coafsul.

A cooperativa terá os mesmos direitos das outras duas, a Coaf/Cruangi, também dirigida por Alexandre Lima, e a Agrocon. Depois de dias do governo pernambucano negando a extensão dos direitos e dizendo que iria estudar, a Justiça deu apoio ao pleito dos cooperados, liderados pela AFCP.

Fonte: Money Times

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Preços do petróleo caem com tensão entre EUA e China e dúvidas sobre demanda

Os preços do petróleo recuaram nesta sexta-feira, diante das crescentes tensões entre Estados Unidos e China.

Venda direta da usina ao posto não diminuirá preço do etanol em Ribeirão Preto, dizem especialistas

Representantes do mercado do etanol na região de Ribeirão Preto (SP) dizem…

Próximo capítulo da crise do petróleo seria paralisação do setor

Os preços das remessas sobem para níveis estratosféricos com a falta de navios-tanque, um sinal do nível de distorção do mercado