Etanol: atenção à Petrobras com forte baixa do petróleo e alta na usina na semana anterior

Gasolina pode ter maior competitividade se a Petrobras segui parâmetros alinhados ao petróleo, que está em forte baixa

A coragem da Petrobras (PETR4) em manter sua promessa de regular os preços dos combustíveis nas refinarias de acordo com a movimentação do petróleo deverá dar os rumos ao etanol nesta semana.

A queda brusca do óleo cru em Londres, nesta segunda (9), em menos 2,69%, estando agora (10h45, de Brasília) em US$ 68,83, pegou o hidratado com boa valorização na semana passada nas usinas. De acordo com o Cepea, avançou 2,17%, para R$ 3,0318 o litro, livre de impostos, em segunda semana seguida de alta.

Com a expectativa de que a estatal acabe cortando os preços, as distribuidoras tendem a moderar suas compras, ainda mais que o etanol, ficou mais caro nas bombas (0,3%), embora levemente, segundo a ANP.

Já a gasolina apurou alta de 0,53% (o diesel mais 0,21%), mais um motivo para o governo forçar a Petrobras a diminuir suas ofertas de preços.

Vale lembrar também que mesmo podendo haver uma reversão da desvalorização do barril do Brent, agora contaminado pela variante Delta se espalhando em vários lugares – e na China, principalmente -, encontra-se em níveis mínimos e está muito longe de voltar a novas máximas.

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) se posicionou a favor da manutenção do atual modelo de funcionamento do mercado de revenda de derivados de petróleo.

Estes são os postos de combustíveis populares e preferidos por brasileiros

Os postos de combustível Petrobras BR, Ipiranga e Shell são as marcas com maior índice de popularidade entre os brasileiros, é o que aponta um estudo realizado pela empresa de pesquisa de satisfação e NPS (Net Promoter Score) SoluCX: as marcas foram citadas por 73,2%, 72,8% e 69,1% dos respondentes da pesquisa, respectivamente.

Guerra política no Brasil e economia mundial devem manter preço da gasolina nas alturas

Economistas dizem que toda vez que o discurso golpista avança, desconfiança cresce e dólar sobe, elevando o preço dos combustíveis. Motoristas de aplicativo dizem que serviço já não compensa diante dos custos.