(Imagem: REUTERS/Paulo Whitaker)

Após duas semanas com o mercado spot do etanol hidratado aquecido no segmento produtor do estado de São Paulo, a situação se inverteu. O número de negócios e o volume comercializado caíram nos últimos dias, e os preços do biocombustível acompanharam esse movimento.

Segundo colaboradores do Cepea, a recente alta nas bombas, que acentuou a perda de competitividade do etanol hidratado frente à gasolina, reduziu a demanda pelo biocombustível, pressionando as cotações. Já a oferta do hidratado se elevou, aumentando a pressão sobre os valores. Assim, entre 17 e 21 de maio, o Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado fechou a R$ 2,9107/litro, recuo de 4,53% frente à média da semana anterior.

No caso do etanol anidro, a queda foi de 2,33%, no mesmo comparativo, com o Indicador CEPEA/ESALQ fechando em R$ 3,4120/litro. Essas são as baixas mais expressivas para os dois tipos de etanol desde o início da temporada 2021/22.

Fonte: Cepea/Esalq

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

ANP nega pedido de postos bandeirados que buscavam liberdade para escolher fornecedores

Revendedores dizem que maiores distribuidoras represam cortes de preços a Petrobras

Preços dos combustíveis seguem em alta nos postos nesta semana, diz ANP

De acordo com o levantamento semanal da agência, o valor médio do litro da gasolina ao consumidor subiu 0,8%, a R$ 4,268. O preço do litro do diesel avançou 0,3%, para R$ 3,374.

Política de preços da Petrobras deve mudar, avaliam especialistas

Pelo menos um dado parece estar menos nebuloso na nova gestão da Petrobras, assinalou Cesar Bergo, presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon-DF). “A política de preços dos combustíveis deve mudar para o que era antes de (Roberto) Castello Branco (ex-presidente da estatal). Ou seja, as oscilações não serão sentidas imediatamente. A metodologia de cálculo deverá considerar o médio prazo”, acredita Bergo.