Etanol deve renovar alta na usina, mas com a mesma moderação da semana anterior

Ao final desta sexta (3) é bastante provável que o etanol hidratado acumule nova alta semanal nas usinas, mas dentro do se pode considerar de estabilidade em relação à semana passada, inclusive porque nas distribuidoras os preços alternaram os dois lados da tabela.

A menor produção do mix geral da safra sacrifica mais a produção do renovável que vai direto para os tanques dos automóveis, na análise do trader Paulo Strini, em safra de “morte súbita” depois da seca e geadas.

Para o profissional do Grupo Triex, confirma aquilo que mostram os números de produção e vendas relatados pela Unica: o etanol anidro, misturado à gasolina, tem prêmio mais elevado para o produtor, como é o caso do açúcar também.

Com o enxugamento do hidratado pelos “concorrentes” e a melhora nas vendas na segunda quinzena de agosto, vistas pela empresa comercializadora de biocombustíveis, reforça o viés de valorização na origem, mas de forma moderada porque, também, a paridade com a gasolina “está estourada”.

Na semana de 23 a 27, a elevação foi de 0,23%, a R$ 3,1878, contra altas bem mais fortes nas semanas anteriores, segundo levantamento do Cepea.

O petróleo voltando aos US$ 72/73 alimentam suporte de alta do hidratado, com a expectativa de reajuste da gasolina pela Petrobras (PETR4).

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) se posicionou a favor da manutenção do atual modelo de funcionamento do mercado de revenda de derivados de petróleo.

Estes são os postos de combustíveis populares e preferidos por brasileiros

Os postos de combustível Petrobras BR, Ipiranga e Shell são as marcas com maior índice de popularidade entre os brasileiros, é o que aponta um estudo realizado pela empresa de pesquisa de satisfação e NPS (Net Promoter Score) SoluCX: as marcas foram citadas por 73,2%, 72,8% e 69,1% dos respondentes da pesquisa, respectivamente.

Guerra política no Brasil e economia mundial devem manter preço da gasolina nas alturas

Economistas dizem que toda vez que o discurso golpista avança, desconfiança cresce e dólar sobe, elevando o preço dos combustíveis. Motoristas de aplicativo dizem que serviço já não compensa diante dos custos.