Apenas dois Estados, Mato Grosso e Minas Gerais, têm hoje preços do etanol mais competitivos que os da gasolina, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgado hoje. O custo médio do litro do etanol subiu 2,1% no país, passando dos R$ 3,908 da semana anterior para R$ 3,990 no último sábado. O preço do biocombustível subiu em 20 Estados e no Distrito Federal e caiu em seis.

Como a eficiência energética do etanol – tanto o produzido a partir da cana quanto o de milho – corresponde a 70% à da gasolina, o biocombustível é considerado mais vantajoso quando seu preço é, no máximo, 70% do cobrado pelo derivado do petróleo. Em Mato Grosso, a paridade na última semana ficou em 68,52% e, em Minas Gerais, em 69,66%.

Na média nacional, o preço do etanol ficou em 72,35% do da gasolina, que teve custo médio R$ 5,515 por litro na última semana. O etanol mais caro do país é hoje o do Rio Grande do Sul, com preço médio de R$ 5,302, segundo a ANP. No comparativo da gasolina, o custo mais alto é o do Acre, onde o litro combustível sai hoje, em média, por R$ 6,262.

Em São Paulo, Estado que lidera a produção e também o consumo de etanol, o biocombustível subiu 2% em relação à semana anterior. O preço ficou, em média, em R$ 3,774.

Autor/Veículo: Valor Investe

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Preços de petróleo sobem a US$67 com perspectivas de demanda

O petróleo subiu para 67 dólares por barril nesta segunda-feira, com o otimismo sobre uma forte recuperação da demanda em países como Estados Unidos e China.

Após nova alta do diesel, caminhoneiros voltam a falar em greve

Após receber a notícia da alta de 5% no diesel anunciada pela Petrobras nesta segunda-feira (1º), grupos de caminhoneiros que vêm fazendo ameaças de paralisação sem sucesso nos últimos meses voltaram a tentar articular uma nova greve.

Governo vai regulamentar venda direta de etanol para postos até outubro, diz ministro

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou em entrevista a José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes, que o governo quer regulamentar até outubro a venda direta de etanol.