O ministro de Energia da Arábia Saudita, príncipe Abdulaziz bin Salman, disse na segunda-feira que o A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, conhecidos como Opep+, cortaram a produção em quase 7 milhões de barris por dia para apoiar os preços (Imagem: REUTERS/Dado Ruvic/Ilustração)

Os Estados Unidos disseram em uma ligação telefônica com a Arábia Saudita que os preços de energia devem ser mantidos em níveis acessíveis para os consumidores, com a administração do presidente Joe Biden retomando a prática de Donald Trump de ligar para a líder da Opep para queixas sobre preços.

A secretária de Energia dos EUA, Jennifer Granholm, disse no Twitter que conversou com o ministro de Energia saudita, príncipe Abdulaziz Bin Salman.

“Nós reafirmamos a importância da cooperação internacional para garantir preços acessíveis e fontes confiáveis de energia para os consumidores”, escreveu ela, potencialmente dando uma razão adicional para o grupo considerar um aumento de oferta.

Os preços do petróleo Brent, referência internacional, operavam acima dos 63 dólares nesta quinta-feira, com alta de mais de 20% desde o início de 2021 e perto de máximas do ano.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, conhecidos como Opep+, cortaram a produção em quase 7 milhões de barris por dia para apoiar os preços. Além disso, os sauditas têm reduzido voluntariamente sua oferta em 1 milhão de bpd.

A Opep+ vai se reunir nesta quinta-feira, com início das conversas agendado para 10 horas (horário de Brasília). “Ainda não há um retrato claro (sobre a decisão)”, disse uma fonte.

Às vésperas da reunião, representantes da Opep+ disseram que o grupo provavelmente manterá a maior parte de suas restrições de oferta em vigor, dadas as fracas perspectivas de demanda em meio a novos “lockdowns” contra o coronavírus.

Mas o humor mudou nas últimas 24 horas, como o grupo agora entre uma prorrogação dos cortes e um aumento de oferta, segundo três fontes da Opep+. O aumento poderia ser de 0,5 milhão de bpd, disseram duas dessas fontes.

Ainda não está claro se a ligação da secretária dos EUA influenciou na mudança.

opep
A Opep+ vai se reunir nesta quinta-feira, com início das conversas agendado para 10 horas (horário de Brasília). “Ainda não há um retrato claro (sobre a decisão)”, disse uma fonte (Imagem: REUTERS/Ramzi Boudina)

Trump usou repetidamente sua influência para forçar a Arábia Saudita a ajudar sua política de produção de petróleo. Quando os preços subiram, ele insistia para que a Opep aumentasse a oferta.

Quando os preços tiveram um colapso no ano passado, devido à pandemia, Trump ligou para Arábia Saudita e Rússia e pressionou para um acordo para cortes recordes de produção que ajudaram a proteger a indústria de “shale” dos EUA.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Petróleo com baixo teor de enxofre está sendo muito bem aceito, diz presidente da Petrobras

Inclusive, de acordo com Roberto Castello Branco, vem sendo vendido com prêmio sobre o tipo Brent, referência dos negócios da estatal

Etanol/Cepea: Após três semanas em queda, hidratado reage em São Paulo

O preço do etanol hidratado reagiu de maneira discreta no estado de São Paulo, após permanecer em queda por três semanas consecutivas.

Biodiesel: Posicionamento da Abiove sobre preço

A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (ABIOVE) lamenta a nota…