O reajuste nos preços da gasolina ligou o sinal de alerta no governo quanto ao abastecimento de etanol hidratado no Brasil. Aos poucos, os dois aumentos anunciados pela Petrobrás às destilarias em novembro, um total de 6,88%, são repassados aos postos de combustíveis e novas altas podem ocorrer. Valorizado, o combustível de petróleo dá competitividade ao etanol, desde que este siga abaixo da paridade de 70% do preço da gasolina.

Mas o período é de entressafra da cana-de-açúcar, que vai até março de 2020. Sem produção nova, os estoques são utilizados para atender a uma demanda pelo biocombustível, que segue aquecida. » Sob controle. O total estocado de etanol hidratado no País era de 7,48 bilhões de litros em 15 de novembro, volume 8,6% maior que os 6,89 bilhões de litros em igual data do ano passado, segundo dados do governo.

No entanto, a demanda pelo combustível está 12% maior na atual safra, iniciada em abril, e, na esteira das altas na gasolina, o consumo não deve cair. Até agora, a situação é considerada controlada. O governo e o setor privado avaliam que um possível desabastecimento do etanol poderia ser suprido por importações.

Fonte: O Estado de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VOCÊ PODE GOSTAR

Venda de gasolina e combustível via aplicativo é ilegal, diz ANP

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) convocou a…