Gasolina cara pressiona abastecimento de etanol

O reajuste nos preços da gasolina ligou o sinal de alerta no governo quanto ao abastecimento de etanol hidratado no Brasil. Aos poucos, os dois aumentos anunciados pela Petrobrás às destilarias em novembro, um total de 6,88%, são repassados aos postos de combustíveis e novas altas podem ocorrer. Valorizado, o combustível de petróleo dá competitividade ao etanol, desde que este siga abaixo da paridade de 70% do preço da gasolina.

Mas o período é de entressafra da cana-de-açúcar, que vai até março de 2020. Sem produção nova, os estoques são utilizados para atender a uma demanda pelo biocombustível, que segue aquecida. » Sob controle. O total estocado de etanol hidratado no País era de 7,48 bilhões de litros em 15 de novembro, volume 8,6% maior que os 6,89 bilhões de litros em igual data do ano passado, segundo dados do governo.

No entanto, a demanda pelo combustível está 12% maior na atual safra, iniciada em abril, e, na esteira das altas na gasolina, o consumo não deve cair. Até agora, a situação é considerada controlada. O governo e o setor privado avaliam que um possível desabastecimento do etanol poderia ser suprido por importações.

Fonte: O Estado de São Paulo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Petróleo despenca até 13% e WTI fica abaixo de US$ 70, com temor por nova cepa

Os contratos futuros do petróleo despencaram nesta sexta-feira, 26, com recuo de até 13%. Tanto em Nova York, quanto em Londres os ativos tiveram o pior desempenho desde o início de setembro, com o WTI tendo perdido a marca dos US$ 70.

Governo vende 55 milhões de barris de petróleo do pré-sal por R$ 25 bilhões

A PPSA (Pré-Sal Petróleo SA) vendeu nesta sexta-feira (26) 55 milhões de barris de petróleo do pré-sal que pertencem à União. Pelas cotações atuais, o leilão representa uma arrecadação de R$ 25 bilhões para o governo federal no prazo de cinco anos.

Opep+ monitora nova variante da Covid-19, com receios sobre perspectiva, dizem fontes

A Opep+ está monitorando os desenvolvimentos em torno da nova variante do coronavírus, disseram fontes nesta sexta-feira, com alguns expressando preocupação de que isso possa piorar as perspectivas do mercado de petróleo menos de uma semana antes de uma reunião para definir política.