Gasolina cara pressiona abastecimento de etanol

O reajuste nos preços da gasolina ligou o sinal de alerta no governo quanto ao abastecimento de etanol hidratado no Brasil. Aos poucos, os dois aumentos anunciados pela Petrobrás às destilarias em novembro, um total de 6,88%, são repassados aos postos de combustíveis e novas altas podem ocorrer. Valorizado, o combustível de petróleo dá competitividade ao etanol, desde que este siga abaixo da paridade de 70% do preço da gasolina.

Mas o período é de entressafra da cana-de-açúcar, que vai até março de 2020. Sem produção nova, os estoques são utilizados para atender a uma demanda pelo biocombustível, que segue aquecida. » Sob controle. O total estocado de etanol hidratado no País era de 7,48 bilhões de litros em 15 de novembro, volume 8,6% maior que os 6,89 bilhões de litros em igual data do ano passado, segundo dados do governo.

No entanto, a demanda pelo combustível está 12% maior na atual safra, iniciada em abril, e, na esteira das altas na gasolina, o consumo não deve cair. Até agora, a situação é considerada controlada. O governo e o setor privado avaliam que um possível desabastecimento do etanol poderia ser suprido por importações.

Fonte: O Estado de São Paulo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Etanol segue assombrado por Petrobras (PETR4) desidratar mais a gasolina, após o diesel

O etanol hidratado foi poupado no final da semana passada, quando a Petrobras (PETR4) apenas diminui o preço do diesel. Mas seguiu e segue assombrado pela possibilidade real de que a estatal reduza a gasolina também.

Goldman Sachs reduz projeções para petróleo no curto prazo, mas segue vendo preços acima de US$ 100 o barril

Os preços do petróleo brent tiveram queda de 25% desde o início de junho, fechando a última sexta-feira (5) na casa dos US$ 94 o barril, sendo puxados recentemente por uma crescente gama de preocupações: recessão, política de Covid-zero da China e setor imobiliário, liberação de reservas estratégicas dos EUA e produção russa se recuperando bem acima das expectativas.

ANP rejeita aumento de estoques mínimos de diesel, em alívio para distribuidoras

A diretoria da ANP rejeitou nesta sexta-feira, 5, uma proposta de aumento de estoques mínimos de diesel A (puro) S10 entre setembro e novembro para mitigar riscos de desabastecimento em meio à oferta global apertada do combustível, mas aprovou um reforço do monitoramento do suprimento nacional.