Gasolina está 21% mais cara no país nas primeiras semanas de novembro

Nas primeiras semanas de novembro, o preço médio da gasolina já apresenta alta de 21%, com valor médio sendo cobrado a R$6,914%. Essa é a sétima alta consecutiva se comparada ao mês de abril, último período de baixa em que o preço do combustível estava saindo a R$ 5,699 – é o que aponta o mais recente levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). O etanol também registrou sua sétima alta seguida em comparação com o mesmo período, com valor médio de R$ 5,795 e aumento de 27%.

“Os dados apontam que todos os estados brasileiros apresentaram aumento no preço da gasolina. Quanto ao etanol, apenas a Paraíba teve redução. Considerando a metodologia 70/30, em todos os estados da região Nordeste, Sul e Sudeste, a gasolina é o combustível mais vantajoso para os motoristas”, explica Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

Bem como na primeira quinzena de outubro, a gasolina mais cara do Brasil foi comercializada na região Centro-Oeste, com média de R$ 7,054, após o aumento de 7% em relação ao fechamento de outubro. Apesar do menor preço médio do combustível, de R$ 6,767, o Sul teve o maior percentual de aumento em relação ao mês passado, chegando a 8%. Já o etanol, teve na região Sul a maior média, comercializado a R$ 6,209 nas bombas. O Centro-Oeste, mesmo com o aumento de 10%, teve o litro mais barato, comercializado à média de R$ 5,656.

Gasolina mais cara do país
Na análise por estado, o Rio de Janeiro apresentou a gasolina mais cara do País, com valor médio de R$ 7,322, aumento de 6,81%. O preço médio mais baixo do combustível foi comercializado no Estado de São Paulo, com valor de R$ 6,430, mesmo com alta de 7%.

Já o maior aumento da gasolina nos primeiros dias do mês foi identificado no Estado de Roraima, passando de R$6,230 para R$6,806, alta de 9,25% em relação ao fechamento de outubro. Não houve redução do preço da gasolina em nenhum estado.

O etanol apresentou o valor médio por litro mais alto no Rio Grande do Sul, a R$ 6,886, e o mais barato foi comercializado na Paraíba, a R$ 5,138. Em São Paulo, os postos registraram o avanço mais significativo do país, de 12,75%, passando de R$4,684 para R$5,281. Enquanto na Paraíba o valor médio recuou 0,04%, com o litro a R$5,138 ante os R$ 5,140 do fechamento de outubro. No Sergipe também houve queda no preço (0,02%), com o valor de R$5,815 baixando para R$5,814.

O IPTL é um índice de preços de combustíveis levantado com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log, que tem grande confiabilidade, por causa da quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com uma média de oito transações por segundo.

Produção de etanol anidro cresce 22,3% no Nordeste, diz NovaBio

Com a safra 2021/22 em andamento, dados compilados pela Associação dos Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio) sinalizam que a moagem de cana no Norte-Nordeste atingiu 28,67 milhões de toneladas no acumulado até 15 de novembro.

Valor do petróleo cai 2% e Petrobras ganha espaço para cortar preços no Brasil

O preço do barril de petróleo tipo brent atingiu os US$ 67,44 nesta quinta-feira, 2, o que representa uma queda de 2,08% em relação aos valores praticados na data anterior.

Abastecer com GNV rende quase o dobro que gasolina e etanol, aponta Abegás

Um levantamento da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostra que, atualmente, o Gás Natural Veicular (GNV) tem rendido quase o dobro da gasolina e do etanol.