(Imagem: Gustavo Kahil/Money Times)

O preço médio do etanol ficou praticamente estável na última semana no varejo brasileiro. Já a gasolina ficou um pouco mais cara. Mesmo assim, o etanol segue sem competitividade ante a gasolina, que está com preço mais  vantajoso em todos os estados pela segunda semana consecutiva.

Segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço do etanol ao consumidor ficou em R$ 4,361 o litro na semana de 23 a 29 de maio, ante R$ 4,362 o litro na semana anterior (16 a 22 de maio).

Na semana passada, o estado do Rio Grande do Sul teve o etanol mais caro do país: R$ 5,629 por litro. O preço máximo entre os estados brasileiros para o etanol foi verificado também no Rio Grande do Sul: R$ 6,494 o litro.

Já em São Paulo, principal estado produtor de etanol do Brasil, o preço médio do biocombustível ficou em R$ 4,159 o litro, ante R$ 4,176 (-0,4%) o litro na última semana. No Mato Grosso, o etanol mais barato do país foi comercializado, a R$ 4,083 o litro, em média.

Já o preço médio da gasolina comum no país ficou em R$ 5,653 o litro, ante R$ 5,641 o litro (alta de 0,21%).

O preço do etanol equivaleu a 77,14% do preço da gasolina em São Paulo na última semana. No Mato Grosso, a relação de paridade está em 72,03%. Em Goiás, a paridade ficou em 75,33% e, em Minas Gerais, em 74,46%.

Fonte: Agência Safras

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Petrobras confirma ofertas da 3R Petroleum e da Eneva por Polo Urucu

A Petrobras (PETR4) informou ao mercado nesta sexta-feira (4) que realmente recebeu…

Petróleo tem retomada; avanço da produção dos EUA visto como limitado

Os preços do petróleo tinham avanços sexta-feira, com uma retomada na sequência de uma perspectiva mais fraca após a reunião do Federal Reserve, depois de um relatório sugerir que o fornecimento dos EUA este ano seria limitado.

Forte demanda pode levar petróleo a US$ 100 em 2022, diz BofA

O petróleo pode subir para US$ 100 o barril no próximo ano com a recuperação da demanda por viagens, segundo o Bank of America, na previsão mais otimista até o momento entres grandes bancos sobre o retorno aos três dígitos.

Alta no diesel opõe setor de biodiesel e de transportes

A Confederação Nacional dos Transportes (CNT) está defendendo a redução a zero da mistura obrigatória de biodiesel no diesel, para compensar a alta no combustível.