Importações de petróleo da China se recuperaram em agosto

As importações de petróleo bruto da China atingiram em média 10,25 milhões de bpd por dia no mês passado, mais de 5% a mais do que em julho, informou a fornecedora de análise de energia OilX .

Os dados alfandegários divulgados um dia depois mostraram um aumento de 8% nas importações de petróleo, com a Reuters calculando a média em 10,49 milhões de bpd. Mesmo assim, o número foi inferior à taxa média de importação de agosto de 2020.

Em uma base anual, no entanto, a média de agosto foi menor do que há um ano, disse a OilX. Isso se deveu à redução nas compras de refinarias independentes, que Pequim está atualmente almejando com sondagens de violação da lei ambiental e um aperto nas cotas de importação em meio a um excesso de combustível especialmente marcado em óleo diesel.

As autoridades até assumiram o controle de uma das maiores refinarias independentes – Liaoning Bora Enterprise Group – em meio a uma investigação fiscal que a Bloomberg relatou no mês passado que poderia levar a empresa à insolvência.

Como resultado da repressão, a OilX disse que as refinarias chinesas independentes reduziram suas taxas de corrida para 4,3 milhões de barris diários em agosto, o mais baixo em mais de um ano. A empresa acrescentou os dados semanais mais recentes, no entanto, sugerindo que setembro terá taxas de execução mais altas nas refinarias chinesas independentes.

O relatório também observou um recente aumento na quantidade de petróleo em armazenamento flutuante na costa da China, bem como em Cingapura e Malásia. Os autores sugeriram que isso poderia ser atribuído à repressão das autoridades às refinarias independentes.

O aumento de agosto, segundo a Reuters, foi resultado da distribuição de um novo lote de cotas de importação. As compras mais fortes também podem continuar este mês, com a Arábia Saudita – principal fornecedora da China – cortando os preços do petróleo para os compradores asiáticos.

Analistas disseram no início deste mês que as refinarias chinesas já estavam aumentando suas compras com o fim da última rodada de restrições de movimentação relacionadas à Covid-19 e estavam dispostas a pagar preços mais altos para garantir o fornecimento no final do ano.

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) se posicionou a favor da manutenção do atual modelo de funcionamento do mercado de revenda de derivados de petróleo.

Estes são os postos de combustíveis populares e preferidos por brasileiros

Os postos de combustível Petrobras BR, Ipiranga e Shell são as marcas com maior índice de popularidade entre os brasileiros, é o que aponta um estudo realizado pela empresa de pesquisa de satisfação e NPS (Net Promoter Score) SoluCX: as marcas foram citadas por 73,2%, 72,8% e 69,1% dos respondentes da pesquisa, respectivamente.

Guerra política no Brasil e economia mundial devem manter preço da gasolina nas alturas

Economistas dizem que toda vez que o discurso golpista avança, desconfiança cresce e dólar sobe, elevando o preço dos combustíveis. Motoristas de aplicativo dizem que serviço já não compensa diante dos custos.