De acordo com dados da Abicom, a defasagem média do preço do diesel está em 0,22 real por litro, enquanto a da gasolina se encontra em 0,31 real (Foto: Victor Moriyama/Bloomberg)

A Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom) vai protocolar nesta sexta-feira novo ofício no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) alertando sobre o que considera práticas de preços de combustíveis “predatórias” pela Petrobras (PETR4), disse o presidente-executivo da entidade à Reuters, Sergio Araujo.

Segundo ele, há “fortes indícios” de que o governo está interferindo nos preços da Petrobras, “com prejuízos para importadores e acionistas”.

Para Araujo, a situação está “insuportável” para importadores de combustíveis, pois há defasagem de preços de diesel e gasolina da Petrobras ante o mercado internacional.

De acordo com dados da Abicom, a defasagem média do preço do diesel está em 0,22 real por litro, enquanto a da gasolina se encontra em 0,31 real.

Araujo disse que o novo ofício a ser protocolado no Cade trará mais informações sobre as práticas da Petrobras.

A Reuters contatou a Petrobras, mas não foi possível obter uma resposta imediata.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Preços do petróleo disparam com retomada nos EUA, Europa e China; IEA alerta para risco de novos surtos

Petróleo em forte alta nesta segunda (18), com valorização do WTI nos EUA de 8,70%, atingindo US$ 31,99 e o Brent negociado em Londres atingindo US$ 34,50, avanço de 6,15%.

Preços do petróleo caem por tensão entre EUA e China

Nesta quarta-feira, operadores também colocaram em dúvida o compromisso da Rússia com cortes de produção do petróleo.