Foto: Reprodução

A Minerva Biodiesel, unidade produtora de biodiesel da Minerva Foods, líder em exportação de carne bovina na América do Sul e uma das maiores empresas na produção e comercialização de carne in natura e seus derivados na região, aderiu ao RenovaBio – programa de descarbonização do setor de combustíveis, que faz parte da Política Nacional de Biocombustível.

Com a participação na iniciativa, a Minerva Biodiesel reforça a agenda de ESG da Companhia, preservando o meio ambiente com a utilização de técnicas produtivas ainda mais eficientes, que emitem menos carbono (CO2) na atmosfera.

A Companhia ainda passa a emitir créditos de descarbonização através da emissão de Certificados de Biocombustíveis (CBIOs). Cada unidade equivale a uma tonelada de dióxido de carbono que deixou de ser emitida, dessa forma, a empresa terá um potencial de emissão de aproximadamente 98.337 CBIOs. Estes ativos terão um valor de mercado e serão comercializados. Ou seja, será um produto da Minerva Biodiesel, que poderá ser negociado na Bolsa de Valores (B3).

“Atuamos com a missão de ser uma unidade de negócio 100% sustentável e com Créditos Ambientais. Aderimos ao programa, pois acreditamos que esta é mais uma forma de viabilizar a preservação ambiental em nosso modelo de operação. Além de agregar valor econômico para toda a nossa cadeia, nossa unidade de negócios promove novos relacionamentos e parcerias comerciais, respaldadas nas melhores práticas socioambientais. Assim, seguimos com uma operação totalmente alinhada à tendência mundial que busca por uma economia verde ou de baixo carbono e operações que auxiliam com Mecanismos Desenvolvimento Limpo”, explica Marcelo Queiroz, diretor da Minerva Biodiesel.

Sobre o Programa

O RenovaBio é um programa projetado para a realidade brasileira, que permite o aumento da capacidade de produção de biocombustíveis ao mesmo tempo em que estimula a competição sustentável entre as usinas, com o objetivo de diminuir as emissões de CO2 no Brasil, e contribuindo para a diminuição dos efeitos do aquecimento global junto a Organização das Nações Unidas e com os respectivos países signatários do Acordo de Paris (antigo Protocolo de Kyoto).

Como parte do Plano Nacional de Desenvolvimento do Setor de Biocombustíveis, a iniciativa foi desenvolvida em parceria com o setor de biodiesel e sucroenergético nacional, com o intuito de aumentar a produção brasileira de biodiesel e etanol e incluir a implementação de políticas que incentivem investimentos para o setor através da descarbonização do transporte e centros urbanos.

Fonte: Minerva Foods – retirado do Portal Noticias Agrícolas

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Petróleo atinge novas mínimas após Rússia discordar de proposta da Opep

Investing.com – Os futuros do petróleo desabaram na sexta-feira (6) após a…

Petrobras tem alta de 6,3% em vendas de diesel em outubro, com recorde em S-10

As vendas totais de diesel pela Petrobras (PETR4) em outubro somaram cerca…

Mercado vê alta do etanol na usina esta semana pondo em risco a vantagem

Até o encerramento dos negócios nesta sexta (4) com o etanol hidratado, agentes do mercado acreditam que a semana fechará com alta significativa do produto nas fábricas.

Consumo de combustíveis tem pior março desde 2011, aponta ANP

No primeiro mês de medidas de restrição à circulação de pessoas, como estratégia de enfrentamento à pandemia da covid-19 no Brasil, o consumo de combustíveis caiu 5,3% em março, na comparação com igual período do ano passado.