Alteração de PMPF e impacto sobre os preços dos combustíveis. 16/11/2018

O CONFAZ (Conselho Nacional de Política Fazendária) divulgou o ATO COTEPE Nº 21 do ano de 2018 que altera o Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) de todos os combustíveis comercializados dentro dos estados a partir de 16/11

O valor do ICMS que incide sobre o preço final dos combustíveis é calculado através de uma substituição tributária, ou seja, o ICMS não é cobrado sobre a base do preço de produção dos combustíveis e sim sobre o preço final de comercialização a pessoa física. Isso proporciona aos estados uma arrecadação maior de tributos sobre os combustíveis, bem como o acompanhamento da volatilidade das eventuais mudanças comerciais que existam no mercado de competição entre os postos revendedores.

Quinzenalmente é realizado o levantamento do PMPF e assim atualizado a base de calculo do ICMS sobre os combustíveis.

Para 16/11 teremos alterações no PMPF do Diesel S-500 e S-10 nos seguintes estados:

  • Alagoas
  • Amazonas
  • Amapá
  • Bahia
  • Distrito Federal
  • Goiania
  • Maranhão
  • Mato Grosso do Sul
  • Paraíba
  • Pernambuco
  • Rio de Janeiro
  • Rio Grande do Norte
  • São Paulo

Os demais estados da União não sofrerão alteração na composição do preço do Diesel.

Veja abaixo na íntegra a publicação dos novos valores do PMPF para a segunda quinzena de Novembro/2018:

[row cols_nr=”2″][col size=”6″]

[/col][col size=”6″]

[/col][/row]

Acompanhe a evolução do ICMS do Diesel S-10 cobrado no estado de São Paulo no ano de 2018, o maior consumidor de diesel do país:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Petróleo tem pior semana desde março, com WTI abaixo de US$ 90

Os touros do petróleo costumavam sorrir para o mercado de trabalho dos EUA com orgulho. Agora, eles não têm mais tanta certeza se deveriam.

Medos de recessão tomam conta dos mercados de petróleo

Os preços do petróleo estão de volta aos níveis em que estavam antes de a Rússia invadir a Ucrânia, destacando que uma recessão global e a destruição da demanda são agora o foco central dos comerciantes.

Petróleo cai cerca de 7% na semana e preço negociado volta a ser o mesmo de fevereiro

Brent e WTI operam em alta moderada, rompendo o fechamento negativo de dois pregões consecutivos. Mas a recuperação de hoje, no patamar de 1% para ambas as referências, não chega perto do acumulado de perdas da semana, que somam cerca de 7%.