A pesquisa com 39 economistas e analistas realizada na segunda quinzena de dezembro previa que os preços do petróleo Brent atingiriam uma média de 50,67 dólares por barril no próximo ano (Imagem: Pixabay)

Os preços do petróleo não devem apresentar grande recuperação em 2021, já que uma nova variante do coronavírus e restrições de viagens ameaçam a já enfraquecida demanda por combustível, mostrou uma pesquisa da Reuters nesta quinta-feira.

A pesquisa com 39 economistas e analistas realizada na segunda quinzena de dezembro previa que os preços do petróleo Brent atingiriam uma média de 50,67 dólares por barril no próximo ano.

Isso é acima de uma pesquisa no mês passado, que previa um preço médio de 49,35 dólares por barril em 2021, mas pouco mudou em relação ao nível atual do Brent, de cerca de 51 dólares nesta quinta-feira.

Os futuros do petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) devem atingir em média 47,45 dólares por barril em 2021, mostrou a pesquisa.

Isso também está acima de um consenso de novembro de 46,40 dólares por barril, mas também próximo do preço do WTI desta quinta-feira, perto de 48 dólares.

Uma nova variante do coronavírus detectada no Reino Unido este mês aumentou o risco de novas restrições e medidas de isolamento, o que junto com uma distribuição gradual de vacinas pode limitar os ganhos do petróleo.

A recuperação da demanda de petróleo dependerá do ritmo da implantação das vacinas que estão sendo desenvolvidas para combater o vírus, disseram analistas, com alguns não esperando um retorno aos níveis pré-pandêmicos antes do final de 2022 ou 2023.

“Novas cepas de vírus podem complicar as perspectivas e levar a bloqueios mais severos que prejudicarão as perspectivas de demanda bruta para o primeiro trimestre”, disse Edward Moya, analista de mercado sênior da OANDA.

“Medidas adicionais de bloqueio e o cuidadoso movimento Opep + de aumentar a produção serão o foco na primeira metade do ano.”

Produtores da Opep e aliados, incluindo a Rússia, a chamada Opep +, concordaram em afrouxar seus cortes de produção em 500.000 barris por dia (bpd) a partir de janeiro.

A Opep + deve se reunir no dia 4 de janeiro para discutir a política, incluindo um possível afrouxamento adicional de 500.000 bpd em fevereiro.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

BR vê reação para combustíveis no início de 2021, similar ao 4º tri de 2020, diz CEO

A BR Distribuidora (BRDT3), maior empresa do setor de distribuição de combustíveis do Brasil, vê cenário favorável à reação do mercado no início de 2021, assim como no fim de 2020, disse nesta quinta-feira o presidente-executivo da companhia, Rafael Grisolia.

Vendas de etanol no Centro-Sul registram queda de 13% em março

As vendas de etanol pelas usinas da região Centro-Sul registraram uma queda de 12,9% em março, de acordo com levantamento da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica)

Produção de petróleo da Petrobras cai 5,4% em maio, aponta ANP

Volume de 2,045 milhões de barris/dia é o menor patamar mensal desde junho de 2019.

Petrobras eleva preço do gás de cozinha em 6% a partir de quinta-feira

RIO DE JANEIRO (Reuters) – A Petrobras (SA:PETR4) elevará o gás liquefeito…