O novo diretor-geral interno da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Raphael Moura, assume o cargo sob grande expectativa dos produtores de etanol no sentido de que a agência reguladora vai finalmente dar consequência à decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), adotada em julho, e viabilizar a venda direta do produto aos postos. O novo comando da ANP pode representar o fim do longo domínio da ANP pelos distribuidores/atravessadores de combustíveis. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Superintendente na ANP, Raphael Moura foi uma escolha técnica de Bolsonaro até que a indicação de novo diretor seja votada no Senado.

Bolsonaro defende o fim da regra da ANP, de 2009, que obriga os postos a comprar combustível somente de distribuidoras/atravessadores.

A expectativa na própria ANP é que a liberação da venda direta, com redução do preço final ao consumidor, ocorra no mês de outubro.

Fonte: Diário do Poder

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Mesmo competitivo, etanol despenca nas vendas em abril

Sob efeito da pandemia do coronavírus, queda na comercial do tipo hidratado foi de 38,38% ante a 2019

Liquidação: Petróleo dos EUA é negociado no negativo pela primeira vez na história

Os contratos futuros do petróleo dos EUA (WTI) para maio, que expiram amanhã, atingiram pela primeira vez o território negativo.

Entenda por que a anp definiu novos padrões para a gasolina à venda no Brasil

COMBUSTÍVEL MAIS EFICIENTE (E MAIS CARO) CHEGA AOS POSTOS A PARTIR DE…