Opep+ não discute pausar aumentos graduais na produção de petróleo, dizem fontes

A Opep argumentou que o mundo em breve enfrentará um novo excesso, apesar de os preços do petróleo subirem em direção ao seu pico desde 2014, acima de 85 dólares por barril

A Opep+ não está discutindo atualmente uma pausa nos aumentos da produção de petróleo, apesar da liberação de estoques pelos Estados Unidos e outros países, três fontes da Opep+ disseram à Reuters.

Os Estados Unidos e várias outras nações concordaram em liberar estoques depois de não conseguirem convencer a Opep a bombear mais petróleo, já que os preços da gasolina nos EUA avançaram, aumentando as pressões sobre o presidente Joe Biden em meio à alta inflação e baixos índices de aprovação.

A Opep argumentou que o mundo em breve enfrentará um novo excesso, apesar de os preços do petróleo subirem em direção ao seu pico desde 2014, acima de 85 dólares por barril.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, incluindo a Rússia, grupo conhecido como Opep+, reúnem-se na próxima semana para discutir a demanda de petróleo e a dinâmica de oferta.

O grupo vem adicionando 400 mil barris por dia ao seu fornecimento todos os meses para atenuar cortes recordes de produção desde o ano passado.

Alguns analistas de mercado sugeriram que a Opep poderia fazer uma pausa com aumentos de produção após a liberação de estoques por grandes consumidores.

Produção de etanol anidro cresce 22,3% no Nordeste, diz NovaBio

Com a safra 2021/22 em andamento, dados compilados pela Associação dos Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio) sinalizam que a moagem de cana no Norte-Nordeste atingiu 28,67 milhões de toneladas no acumulado até 15 de novembro.

Valor do petróleo cai 2% e Petrobras ganha espaço para cortar preços no Brasil

O preço do barril de petróleo tipo brent atingiu os US$ 67,44 nesta quinta-feira, 2, o que representa uma queda de 2,08% em relação aos valores praticados na data anterior.

Abastecer com GNV rende quase o dobro que gasolina e etanol, aponta Abegás

Um levantamento da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostra que, atualmente, o Gás Natural Veicular (GNV) tem rendido quase o dobro da gasolina e do etanol.