Opep+ se reúne nesta quarta-feira, com expectativas de manter política de produção

Segundo fontes disseram à Reuters, política de aumentos graduais na produção deve continuar apesar de aumento na demanda

LONDRES/DUBAI (Reuters) – A Opep e seus aliados deverão manter uma política já existente de aumentos graduais na produção de petróleo, apesar de terem revisado para cima as perspectivas de demanda para 2022 e de enfrentarem a pressão dos Estados Unidos para que o bombeamento da commodity seja ampliado de forma mais rápida, disseram quatro fontes nesta quarta-feira.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados liderados pela Rússia, que formam o grupo conhecido como Opep+, reúne-se às 12h (horário de Brasília).

Eles fecharam um acordo em julho para reduzir os cortes de produção que mantinham, acrescentando ao mercado 400 mil barris por dia (bpd) por mês.

“A Opep+ provavelmente manterá o acordo como havia sido estipulado”, disse uma das fontes antes das negociações desta quarta-feira.

Na terça-feira, especialistas da Opep+ revisaram a previsão de crescimento da demanda por petróleo em 2022 para 4,2 milhões de bpd, acima da estimativa anterior de 3,8 milhões de bpd, possivelmente construindo o argumento para um aumento de produção no futuro.

Com base nos dados de 2021, o cenário para 2022 parece otimista. A Opep+ espera que a demanda cresça em 5,95 milhões de bpd neste ano, após ter enfrentado uma queda recorde de cerca de 9 milhões de bpd em 2020 por causa da pandemia de Covid-19. No primeiro semestre de 2021, porém, o crescimento da demanda foi de apenas 3 milhões de bpd.

Os EUA, enquanto isso, têm pedido para que a Opep+ aumente a produção de forma mais rápida, em momento em que o petróleo Brent –referência internacional da commodity– é negociado acima da marca de 72 dólares por barril, próximo a máximas de vários anos.

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) se posicionou a favor da manutenção do atual modelo de funcionamento do mercado de revenda de derivados de petróleo.

Estes são os postos de combustíveis populares e preferidos por brasileiros

Os postos de combustível Petrobras BR, Ipiranga e Shell são as marcas com maior índice de popularidade entre os brasileiros, é o que aponta um estudo realizado pela empresa de pesquisa de satisfação e NPS (Net Promoter Score) SoluCX: as marcas foram citadas por 73,2%, 72,8% e 69,1% dos respondentes da pesquisa, respectivamente.

Guerra política no Brasil e economia mundial devem manter preço da gasolina nas alturas

Economistas dizem que toda vez que o discurso golpista avança, desconfiança cresce e dólar sobe, elevando o preço dos combustíveis. Motoristas de aplicativo dizem que serviço já não compensa diante dos custos.