REUTERS/Leonhard Foeger

MOSCOW/DUBAI (Reuters) – A Opep e seus aliados liderados pela Rússia vão se reunir no sábado para discutir a extensão dos cortes recordes na produção de petróleo e aprovar uma nova abordagem que visa forçar os retardatários, como Iraque e Nigéria, a cumprir melhor os limites existentes.

Os produtores conhecidos como Opep+ concordaram anteriormente em reduzir a oferta em 9,7 milhões de barris por dia (bpd) durante maio e junho para sustentar os preços que caíram devido à crise do coronavírus. Os cortes devem diminuir para 7,7 milhões de bpd de julho a dezembro.

Duas fontes da Opep disseram que a Arábia Saudita e a Rússia concordaram em estender os cortes mais profundos até o final de julho, mas disseram que Riad também está pressionando para estendê-los até o final de agosto.

O petróleo Brent, que caiu abaixo de 20 dólares por barril em abril, subia cerca de 3% nesta sexta-feira, sendo negociado a uma máxima de três meses acima de 41 dólares o barril.

Os preços haviam caído das máximas recentes no início da semana devido à incerteza sobre quando a Opep+ se reuniria.

As videoconferências de sábado começarão com conversas entre membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e serão seguidas por uma reunião do grupo Opep+, disseram duas fontes da Opep+.

Fonte: Investing.com

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Petróleo sobe, mas estoques devem crescer e plano de cortes no Texas está ‘morto’

Os preços do petróleo conseguiram retornar ao território positivo nas negociações de segunda-feira (4)

Vendas de etanol no Centro-Sul registram queda de 13% em março

As vendas de etanol pelas usinas da região Centro-Sul registraram uma queda de 12,9% em março, de acordo com levantamento da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica)

Demanda global por gasolina e diesel só voltará ao normal no fim de 2021

A demanda global por gasolina e diesel deve retornar aos níveis anteriores…