© Reuters. Os Futuros do Petróleo caíram durante a sessão dos Estados Unidos

Investing.com – Os Futuros do Petróleo caíram durante a sessão dos Estados Unidos na terça-feira.

Na Bolsa Mercantil de Nova York, Os Futuros do Petróleo em Junho foram negociados na entrega a US$ 62,62 por barril no momento da escrita, caindo 1,28%.

Anteriormente negociadas na baixa da sessão a US$ por barril. O Petróleo estava propenso a encontrar apoio em US$ 60,38 e resistência em US$ 64,37.

O Índice Dólar Futuros, que acompanha o desempenho do dólar norte-americano em comparação com a cesta das seis principais moedas, registrou ganhos 0,16% para negociação a US$ 91,195.

Em outra parte da ICE, O Petróleo Brent para entrega em Junho registrou perdas 0,82% para negociação a US$ 66,50 por barril, enquanto o spread entre O Petróleo Brent e O Petróleo ficaram a US$ 3,88 por barril nos contratos.

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Preço do diesel na bomba volta a subir neste mês, mostra Ticket Log

O consumidor final de diesel está pagando preços mais altos pelo produto no início deste mês, segundo levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). O combustível comum avançou 5,17% na comparação com o fechamento de abril e o valor médio por litro foi de R$ 4,679. Já o tipo S-10 foi comercializado a R$ 4,740, após alta de 5,42%.

Distribuidoras que não cumpriram meta do RenovaBio têm até 26 de maio para defesa

Prazo foi dado pela ANP para três companhias que não tiveram representantes localizados; no total, 35 empresas não entregaram a quantidade de CBios estipulada em 2020

Tributaristas contestam proposta de Bolsonaro sobre ICMS de combustíveis

A intenção do governo federal de intervir no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) – de responsabilidade dos Estados – que incide sobre os combustíveis foi contestada por tributaristas consultados pelo Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Medidas para o setor de etanol podem ser anunciadas nesta semana; segue a discussão sobre a CIDE

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, conta que será possível anunciar as medidas do governo federal para o setor sucroalcooleiro até sexta (24).