Pressão: cartel de produtores de petróleo vai pressionar Nigéria e Emirados Árabes a cortarem ainda mais a produção (Imagem: Divulgação/ Opep)

Opep e aliados liderados pela Rússia terão uma reunião online nesta quinta-feira para discutir o cumprimento de seu acordo para cortes de oferta e tendências de demanda em meio a um cenário de queda nos preços do petróleo e perspectivas negativas de recuperação econômica.

O importante painel da Opep+ ainda avaliará um documento interno que alerta que um aumento nos casos de coronavírus em alguns países pode limitar a demanda por petróleo apesar de sinais de recuperação econômica e indicações iniciais de uma queda nos estoques, segundo cópia do relatório vista pela Reuters.

O painel de grandes produtores que inclui a Arábia Saudita, líder de fato da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), e a Rússia e aliados, conhecido como Opep+, não deve recomendar nenhuma mudança em sua atual meta de produção de 7,7 milhões de barris por dia (bpd), equivalente a 8% da demanda global.

Mas o grupo deve pressionar países como Nigéria e Emirados Árabes Unidos a cortar mais oferta para compensar produção excedente em meses anteriores, possivelmente ampliando o período para essas compensações, disseram fontes da Opep+.

Os produtores da Opep+ têm restringido sua produção desde janeiro de 2017 para ajudar a apoiar os preços e reduzir os estoques globais de petróleo. Eles aumentaram os cortes para um recorde de 9,7 milhões de bpd entre maio e julho, depois que a demanda caiu como consequência da crise do coronavírus.

O grupo pediu para que Iraque e outros produzam abaixo de suas cotas em setembro para compensar o excesso de oferta em maio e julho.

Fonte: Reuters

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Combustíveis fósseis permanecem no foco da Petrobras até 2030

A Petrobras traçou um plano com projetos e produtos nas áreas de refino e gás natural nos quais pretende investir até 2030.