Petróleo: países da Opep e os aliados, como a Rússia, afirmam esperar aumento na demanda por petróleo também em suas economias (Jessica Lutz/Reuters Business)

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) anunciou nesta quarta-feira, 15, que aumentará sua produção em agosto, relaxando o nível de cumprimento do acordo multilateral para conter a oferta. Os países envolvidos, porém, garantem que já acontece um aumento na demanda, por isso avaliaram que o impacto nos mercados deverá ser modesto.

A Opep+ tratou do tema ao fim de sua reunião, em comunicado conjunto e também durante entrevista coletiva virtual das autoridades envolvidas. Até agora, o acordo era por um corte de 9,7 milhões de barris por dia, desde maio. A partir de agosto, o corte deve diminuir para “8,1 ou 8,2 milhões” de barris por dia, segundo a entidade. O grupo comentou, contudo, que esse seria um piso e que o corte, na prática, pode ficar um pouco acima disso, chegando talvez a 8,4 milhões de barris.

O grupo disse que o nível de cumprimento do acordo em junho ficou em 107%. Esse nível, contudo, foi atingido graças a cortes voluntários de alguns países, como Arábia Saudita e Omã, e sem esse extra o cumprimento estaria em 95%. A Opep+ disse que os países que não cumpriram o combinado e excederam a cota entregarão planos sobre como pretende compensar isso nos próximos meses.

Segundo a Opep+, pode ainda haver alguns lockdowns em alguns países, mas isso seria algo isolado e a demanda deverá continuar a se recuperar. O grupo enfatizou ainda que o anúncio desta quarta está em linha com o que já havia sido acordado no plano inicial.

Os países da Opep e os aliados, como a Rússia, afirmam esperar aumento na demanda por petróleo também em suas economias. Ministro da Energia russo, Alexander Novak disse na entrevista coletiva que boa parte do aumento na produção em seu país ficará no mercado local, por exemplo.

A Opep+ ainda afirmou que, com as mudanças nos padrões de consumo por causa da pandemia, deve haver maior demanda por gasolina.

Fonte: EXAME

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Petróleo Brent vai desaparecer, mas padrão Brent, não

A Royal Dutch Shell deve fechar os últimos poços de petróleo padrão Brent que ela tem em operação no Mar do Norte em 2020

Agência Internacional de Energia alerta para risco à recuperação do mercado de petróleo

Os preços internacionais do petróleo mais que dobraram desde as mínimas atingidas no final de abril

Próximo capítulo da crise do petróleo seria paralisação do setor

Os preços das remessas sobem para níveis estratosféricos com a falta de navios-tanque, um sinal do nível de distorção do mercado

Preços dos combustíveis voltam a subir nos postos, diz ANP

Segundo levantamento semanal da agência, o valor médio do litro da gasolina ao consumidor subiu 1,04%, a R$ 4,064.