Para importadores, Petrobras reagirá à alta do petróleo só na próxima semana

Importadores de petróleo e derivados apostam que a Petrobras não vai rever os seus preços nesta sexta-feira, 3. Com isso, a perspectiva é que também eles não se movimentem. A Associação dos Importadores de Combustíveis (Abicom) aguarda um posicionamento da estatal para a semana que vem, segundo o presidente da entidade, Sérgio Araújo.

“Agora, seria uma precificação de risco. É muito especulativo neste momento. A Petrobras deve aguardar uma estabilização da cotação, o que deve acontecer na próxima semana”, diz.

Os importadores têm papel relevante no mercado interno e costumam pressionar a estatal pelo reajuste dos preços para que também eles tenham espaço para acompanhar o mercado internacional. Por isso, a visão do economista e coordenador técnico do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep), Rodrigo Pimentel, é que a posição dos importadores terá influência na reação da Petrobras.

A associação tem recorrido ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Abicom) toda vez que avalia que a Petrobras atua descolada do mercado externo. Nessas ocasiões, o argumento é que, ao segurar os preços internos, a empresa impede a livre a concorrência no mercado.

A Petrobras, por meio de sua assessoria, informou que não irá se posicionar sobre a alta do petróleo.

Fonte: Economia UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Petróleo despenca até 13% e WTI fica abaixo de US$ 70, com temor por nova cepa

Os contratos futuros do petróleo despencaram nesta sexta-feira, 26, com recuo de até 13%. Tanto em Nova York, quanto em Londres os ativos tiveram o pior desempenho desde o início de setembro, com o WTI tendo perdido a marca dos US$ 70.

Governo vende 55 milhões de barris de petróleo do pré-sal por R$ 25 bilhões

A PPSA (Pré-Sal Petróleo SA) vendeu nesta sexta-feira (26) 55 milhões de barris de petróleo do pré-sal que pertencem à União. Pelas cotações atuais, o leilão representa uma arrecadação de R$ 25 bilhões para o governo federal no prazo de cinco anos.

Opep+ monitora nova variante da Covid-19, com receios sobre perspectiva, dizem fontes

A Opep+ está monitorando os desenvolvimentos em torno da nova variante do coronavírus, disseram fontes nesta sexta-feira, com alguns expressando preocupação de que isso possa piorar as perspectivas do mercado de petróleo menos de uma semana antes de uma reunião para definir política.