Petrobras: analistas esperam resultado forte com valorização do petróleo e aumento nas vendas

Relatório de Produção trouxe insights de venda e redução de estoques que levam especialistas a enxergarem dados melhores no 2º tri

SÃO PAULO – A Petrobras (PETR3; PETR4) reporta na noite desta quarta-feira (4) seu resultado no segundo trimestre de 2021, e os analistas esperam números fortes devido à valorização do petróleo e ao aumento nas vendas.

Segundo estimativas de bancos, corretoras e casas de análise compiladas pela Refinitiv, a média das projeções dos analistas aponta para um lucro líquido de R$ 30,67 bilhões da estatal no segundo trimestre.

Já para o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês), a expectativa média é de R$ 54,72 bilhões. Para a receita líquida, as previsões indicam R$ 102,07 bilhões.

Os analistas Vicente Falanga e Gustavo Sadka, do Bradesco BBI, escrevem que a Petrobras deve registrar mais três meses com uma geração de fluxo de caixa livre “impressionante”. A equipe projeta que a empresa tenha um Ebitda 13% maior que o do primeiro trimestre, totalizando R$ 54 bilhões.

O motivo para a previsão de avanço é o aumento nos preços de petróleo e combustíveis, além dos ganhos de estoques no segmento downstream (refino do petróleo cru e processamento/purificação do gás natural).

“Comparado ao segundo trimestre de 2020, nós esperamos que o Ebitda cresça 204% devido à fraca base de comparação, dado que aquele período foi quando os preços de petróleo chegaram ao fundo do poço durante a pandemia”, escrevem os analistas.

Já para o lucro líquido da Petrobras, a expectativa do Bradesco é de R$ 31,5 bilhões devido ao efeito cambial da apreciação do real. A projeção para a receita líquida é de R$ 101,16 bilhões.

O Bradesco tem recomendação outperform (desempenho esperado acima da média do mercado) para as ações PETR4 com preço-alvo estimado de R$ 35,00, o que corresponde a uma valorização de 30,35% sobre o nível de fechamento desses papéis na terça-feira (3).

Para a equipe de análise do Morgan Stanley, por sua vez, a Petrobras deve ter mais um trimestre de resultados sólidos, impulsionada por um incremento na produção do segmento de Exploração & Produção, além de bons números em refino, uma vez que a estratégia de precificação provavelmente não terá impactado negativamente as margens e deve ter contribuído para o ganho de fatia de mercado em relação às importações.

O Morgan Stanley traz suas projeções em dólares e espera que estatal tenha um lucro líquido de US$ 7,228 bilhões no segundo trimestre de 2021, um crescimento de 3.293% em relação ao primeiro trimestre e revertendo um prejuízo de US$ 505 milhões no mesmo período do ano passado.

O Ebitda projetado pelo banco americano, por sua vez, é de US$ 10,037 bilhões, alta de 15% na comparação trimestral e de 205% na base anual.

Por fim, o Morgan Stanley projeta uma receita de US$ 20,87 bilhões para a petroleira no trimestre, expansão de 33% sobre os três primeiros meses deste ano e de 120% ante o período entre abril e junho de 2020.

A recomendação do banco americano para os ADRs (na prática, as ações da Petrobras negociadas na Bolsa de Nova York) PBR é equal-weight (peso na carteira na média do mercado) com preço justo estimado de US$ 11,60, o que corresponde a uma valorização de 8,51% ante o patamar de fechamento desses recibos na terça-feira.

Quem também fez projeções para a Petrobras foi o Credit Suisse. Os analistas Regis Cardoso e Marcelo Gumiero, esperam que as maiores vendas reportadas no Relatório de Produção se reflitam em resultados mais fortes.

“O principal destaque do Relatório de Produção foi a queda de 80 mil barris por dia nos estoques devido a mais vendas do que volume de produção, o que poderia representar um aumento de US$ 300 milhões na nossa estimativa de Ebitda de US$ 9,6 bilhões para os resultados do segundo trimestre.”

O Credit Suisse lembra ainda que o volume de vendas total da empresa aumentou em 13% ante o primeiro trimestre e em 12% na base anual, impulsionado por vendas de derivados do petróleo sequencialmente mais fortes no Brasil (crescimento de 5,5% na base trimestral) e por volumes de exportação muito maiores no trimestre (+34,9% sobre o 1º trimestre).

A recomendação do Credit Suisse para os ADRs da Petrobras é neutra, com preço-alvo projetado de US$ 11,00, ou uma valorização de 2,9% sobre o fechamento desses recibos na terça.

As ações PETR4 acumulam 11 recomendações de compra e uma neutra de acordo com a Refinitiv; para os ativos PETR3, são 5 recomendações de compra e duas neutras. O preço-alvo médio estimado para as ações preferenciais PETR4 é de R$ 32,64, o que corresponde a uma valorização de 21,56% em relação ao patamar de fechamento desses papéis na terça-feira. Já para as ações ordinárias PETR3 o preço-alvo médio é de R$ 32,27, o que significa um upside de 16,5% sobre o fechamento da terça.

Petróleo fecha em alta com foco em restrição de oferta, apesar de dólar forte

O petróleo fechou em alta nesta terça-feira, 26, com o foco dos investidores voltado para a crise energética que tem elevado o preço do barril recentemente. A demanda pela commodity aumentou com a reabertura econômica e também devido à escassez de gás natural no mercado. No entanto, a oferta não tem sido capaz de compensar a maior procura.

Caminhoneiros protestam em rodovia no Pará contra reajustes do diesel

Caminhoneiros bloquearam parcialmente a rodovia BR-316, na região metropolitana de Belém, na manhã desta terça-feira (26). Dentre as reivindicações dos manifestantes, está a política de preços do óleo diesel no país.

Gestores de dinheiro estão jogando seu peso por trás da alta do preço do petróleo

A perspectiva de o petróleo Brent chegar a US $ 90 por barril está se tornando cada vez mais realista, e o West Texas Intermediate ontem atingiu o nível mais alto desde 2014. Isso está alimentando um forte sentimento de alta no mercado de petróleo.