(Shutterstock)

A Petrobras (PETR3;PETR4) informa que está lançando o programa RefTOP – Refino de Classe Mundial – com o objetivo de estar entre as melhores companhias refinadoras de petróleo no mundo. Segundo a estatal, o programa consiste em um conjunto de iniciativas que buscam implementar melhorias para aumentar a eficiência e desempenho operacional das refinarias que não estão na carteira de desinvestimento. Os investimentos no RefTOP até 2025 são de aproximadamente US$ 300 milhões e estão incluídos nos US$ 3,7 bilhões de investimentos previstos para o refino no Plano Estratégico 2021-25.

Entre os ativos estão a Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), Refinaria Duque de Caxias (REDUC), Refinaria de Capuava (RECAP), Refinaria de Paulínia (REPLAN) e Refinaria Henrique Lage (REVAP), informa em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Além disso, o programa visa posicionar a Petrobras de forma mais competitiva na abertura do mercado de refino de petróleo no País. A companhia diz que avaliou referências mundiais dos principais indicadores de refino para definir os objetivos do programa.

Segundo a Petrobras, o RefTOP prevê iniciativas para o incremento do desempenho energético das refinarias, aproveitando melhor os insumos como gás natural, energia elétrica e vapor nas próprias operações. O programa promoverá o uso intensivo de tecnologias digitais, automação e robotização nas refinarias da Petrobras.

Um dos exemplos de tecnologias digitais que já vêm sendo adotadas pela companhia e que terá uso ampliado com o RefTOP são os Digital Twins – representações digitais das instalações operacionais – para monitoramento em tempo real, redução de falhas e facilitação na tomada de decisões. Outro ponto importante do programa, segundo a empresa, é o aumento da produção de derivados de alto valor agregado, como diesel e propeno – matéria-prima da indústria petroquímica para a produção de embalagens e peças para automóveis, por exemplo.

“A companhia vai alavancar o processamento de petróleos do pré-sal, que têm baixo teor de enxofre, trazendo vantagens competitivas e oportunidades de aumento da margem de refino, favorecendo a produção de diesel S-10 e bunker”, diz a empresa.

Segundo a estatal, o RefTOP, juntamente com o Programa Gás + e o BioRefino 2030, irão preparar as atividades de refino e gás natural da companhia para um mercado aberto, competitivo e em transição para uma economia de baixo carbono, conforme previsto no Plano Estratégico 2021-25.

Fonte – Estadão Conteúdo

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Preços dos combustíveis nos postos recuam na semana, aponta ANP

De acordo com o levantamento da ANP, o valor médio do litro da gasolina para o consumidor caiu 1,3%, a R$ 4,095.

Opep+ chega a acordo para manter produção estável em abril

A Opep e seus aliados concordaram em estender seus cortes de oferta de petróleo por um mês até abril, dando pequenas isenções à Rússia e ao Cazaquistão, disseram fontes, após entenderem que a recuperação da demanda em meio à pandemia de coronavírus ainda é frágil, apesar de uma recente alta do preço do petróleo.

Desconfiança com política da Petrobras é ‘exagerada’, diz integrante do Conselho

A desconfiança do mercado em relação à política de preços da Petrobras é “exagerada” e os resultados da empresa ao longo de 2020 – com geração de caixa e redução de dívida – comprovam a autonomia da gestão da estatal.

Região sudeste registra maior aumento de preços do etanol no país, aponta Ticket Log

De acordo com o mais recente levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL), os postos da Região Sudeste registraram o aumento mais significativo do preço médio por litro do etanol em maio, de 8,96% em relação a abril. O combustível foi comercializado a R$ 4,777, com São Paulo e Minas Gerais liderando as altas.