A venda de gasolina pela Petrobras está em um nível confortável atualmente, segundo o gerente executivo de Comercialização da estatal, Claudio Mastella, que participou de conferência virtual organizada pela FGV Energia, nesta segunda-feira, 29. Já a venda de óleo diesel, segundo ele chegou a superar o patamar pré-crise. Enquanto o comércio gás liquefeito de petróleo (GLP), cujo consumo avançou no início da pandemia, agora está normalizado.

No início da pandemia, a venda de gasolina caiu a cerca da metade, embora a queda do diesel tenha sido um pouco menor. Ao mesmo tempo, que a de gás de cozinha avançou, possivelmente por causa de uma corrida da população para formar estoque.

Em sua palestra, o gerente da Petrobras apresentou estatísticas de venda da empresa. De 1º de março até 20 de junho, a média de óleo diesel ficou em 689 milhões de litros; a de gasolina, em 312,1 milhões de litros; a de querosene de aviação, em 42,4 mil litros; e a de GLP e butano especial, em 150 mil toneladas.

Na primeira semana de março, a venda de diesel estava em 859 milhões de litros. E na semana de 14 a 20 de junho, ficou em 764 milhões de litros. No início de maio, as vendas ficaram em 879 milhões de litros, acima do volume pré-crise.

No mesmo período, do início de março ao fim deste mês, o comércio de gasolina passou de 480 milhões de litros para 341 milhões de litros. Enquanto o GLP e butano especial passou de 147 mil toneladas para 150 mil toneladas.

“A gente está muito atento às mudanças e oportunidades. Estamos reduzindo custos, flexibilizando dinâmicas de operação e tentando realizar algumas atividades”, disse Mastella sobre as mudanças no mercado de combustíveis durante e após a pandemia.

Fonte: Estadão Conteúdo

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Nova gasolina deve subir 1,5%, mas promete render até 6% mais; vai valer?

A nova gasolina, que estreou na segunda-feira (3), deve ser R$ 0,06 mais cara, segundo o governo. Isso significa um aumento de cerca de 1,5% em comparação com o preço médio atual (R$ 4,144).

Consumo de combustíveis tem pior março desde 2011, aponta ANP

No primeiro mês de medidas de restrição à circulação de pessoas, como estratégia de enfrentamento à pandemia da covid-19 no Brasil, o consumo de combustíveis caiu 5,3% em março, na comparação com igual período do ano passado.

Opep acentua projeção de queda para demanda global de petróleo em 2020

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) acentuou hoje sua projeção para a queda da demanda global pela commodity este ano para 9,07 milhões de barris por dia (bpd).