Investing.com – Os futuros do petróleo desabaram na sexta-feira (6) após a Rússia ter supostamente se negado a apoiar a proposta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de cortar a produção em mais 1,5 milhão de barris por dia. A Opep e a Rússia – junto com outros países não-membros da Opep – têm um acordo de redução da oferta em 700 mil barris por dia que se encerra no fim do mês.

A Opep chegou a proposta de estender a redução da produção de petróleo e adicionar mais 1,5 milhão de barris por dia de corte na quinta-feira, desesperada para trazer o mercado global de petróleo de volta ao equilíbrio. A demanda caiu durante o primeiro trimestre devido ao surto de coronavírus e as principais agências esperam que não haja nenhum crescimento na demanda ao longo de todo o ano. 

A Reuters citou fontes dizendo que a Rússia concordaria apenas em estender o atual acordo de restrição de produção, argumentando que medidas fiscais para apoiar a demanda ainda poderiam ser tomadas pelos governos ao redor do mundo.

Às 9h30 (horário de Brasília), o petróleo Brent caía 3,96%, para US$ 48,01 por barril, tendo atingido anteriormente uma baixa intradiária de US$ 47,02. Os contratos futuros de petróleo dos EUA – WTI – perdiam 4,03%, para US$ 44,05, com a mínima do dia em US$ 43,28.

Fonte: Investing.com

Assine nossa newsletter

Cadastre-se e recebe nossas notícias da semana.

VOCÊ PODE GOSTAR

Volume de etanol foi o maior já comercializado

Em agosto, o volume de etanol hidratado comercializado foi o maior da temporada 2020/21 (que se iniciou oficialmente em abril), conforme levantamento do Cepea.

Projeto propõe valor fixo em real para icms de combustível

O governo deve discutir hoje um projeto de lei complementar que altera…

Preços dos combustíveis têm alta no início de janeiro, diz ANP

Valor médio da gasolina por litro para o consumidor subiu 0,07%, para R$ 4,558, na semana encerrada em 4 de janeiro. Foi o décimo aumento seguido.